sábado, 14 de março de 2009

Watchmen (filme)

Os Deuses gregos tinham formas e atributos humanos: em corpos de homens e mulheres sentiam inveja, amavam, odiavam, eram sexualizados. A humanidade conduzia os seus atos. A Ira que sentiam provocava grandes catástrofes. O Amor, encontros ardentes. O Deus Cristão possui apenas a forma humana, nada nEle pode lembrar homens e mulheres. Sua bondade está acima de todas as outras características e não há nEle desejos sexuais. Devemos amá-Lo sobre todas as coisas porque elas nos foram dadas por Ele.
Os super-heróis, esses das HQ's transformadas em filmes, são um pouco dos deuses gregos e do Deus cristão: têm formas humanas, até sentem raiva, mas ela logo é vencida por uma compreensão divina. O seu dever é combater o mal, a todo custo. As recaídas são, em algum momento, vencidas pela mesma comprensão. O sexo, no entanto, é apenas tangenciado.
Em Watchmen, o filme, além de formas humanas, os heróis são sexualizados a ponto de poderam mostrar a sua genitália (desnuda). Ela, a genitália, não está ali como coadjuvante, é usada para o sexo. O sexo nem sempre é consentido, porque seus desejos são animalescos. Esses heróis humanizados, como os gregos, desejam o Poder, e vale tudo para conquistá-lo.
O filme é uma superprodução: as cenas de uma crueldade ímpar; as lutas são, como todas depois de Matrix, um espetáculo à parte.
E a Paz (rs) só pode ser alcançada com a Guerra. Gostei bastante do filme e vejo outra vez, só que em casa.
http://watchmenmovie.warnerbros.com/

Um comentário:

  1. você tá bem. Atualizando o blog e mandando super bem nas crônicas.

    ResponderExcluir