terça-feira, 30 de junho de 2009

7 anos sem o Chico (texto)

Hoje, dia 30 de junho, faz sete anos que morreu um dos mais famosos líderes espirituais do Brasil: Chico Xavier. O homem que ficou conhecido por falar com os mortos procurou dar sentido à vida. Sua mediunidade, fruto de adoração de muitos fiéis, se multiplicou em milhares de mensagens, publicadas em mais 400 livros. Ao destacar o legado de sua extensa obra, Marcel Souto Maior cita uma frase do médium, dita em seu leito de morte: "Eu não escrevi nada. Eles - os espíritos – escreveram", ele repetiu, até morrer na cama estreita de seu quarto simples da casa de Uberaba, em Minas.
Chico acreditava na própria mediunidade e sua fé transformou – e salvou – vidas por todo o Brasil.
Os fenômenos que cercam sua história desde pequeno, quando já dizia perceber manifestações espíritas dentro de sua casa, na cidade mineira de Pedro Leopoldo, fazem acreditar que o mais famoso médium do país seja considerado um paranormal? Para estudiosos do assunto, sim. Há quem defenda a tese de que não existe fronteira entre o espiritismo e paranormalidade. “Esta é apenas uma questão de terminologia. A mediunidade de Chico Xavier prosseguiu até o final de sua existência, e por ela manifestaram-se milhares de espíritos desencarnados”, afirma o diretor da Federação Espírita Brasileira (FEB), Antonio Cesar Perri.

2 comentários:

  1. Independente de qualquer coisa ela era um homem bom...um homem de muitas obras...que creio não deva estar longe...e sim entre nós.

    ResponderExcluir
  2. "O Cristo não pediu muita coisa, não exigiu que
    as pessoas escalassem o Everest ou fizessem
    grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos
    amássemos uns aos outros."

    Chico Xavier
    Bjs meu querido.

    ResponderExcluir