domingo, 12 de julho de 2009

Fanatismo sempre gera violência (texto)

"O meio-campo é o lugar dos craques
que vão levando o time todo pro ataque
o centroavante, o mais importante,
Que emocionante é uma partida de futebol!"*


Aprendi a gostar de futebol através de minha mãe. Ela, flamenguista-doente, me levava ao Maracanã para acompanhar alguns jogos. Inicialmente estava ali mais por diversão do que por qualquer outro motivo, mas o hábito faz o monge e, aos poucos, jogo a jogo, descobri o quanto uma passada bem dada, um drible, o contra-ataque, a bola rolando, o grito da torcida organizada, o gol são emocionantes. "Que coisa linda é uma partida de futebol".
No entanto, o esporte não vive apenas dessas emoções. Vendo algumas imagens de violência em estádios e clubes no Globo Esporte e uma matéria sobre as ameaças aos jogadores de diversos clubes, fiquei hororrizado como alguns torcedores se organizam em torno desses movimentos.
Suspeita-se, inclusive, de dirigentes apoiando essas estratégias violentas: usando a torcida para amendrontar jogadores e seus familiares.
Quando não se tem um certo controle sobre as emoções, atos como os veiculados pelo programa esportivo, são frequentes: torcida invadindo os treinos e, através de músicas, confrontando os jogadores; violência armada dentro e fora dos estádios; policiais sendo agredidos e desrespeitados pelos torcedores. Futebol é quase uma vergonha nacional!

Nenhum comentário:

Postar um comentário