sábado, 4 de julho de 2009

Gostoso como chuchu (texto)

Estou no aeroporto de Curitiba. Estou desde às 10h30 aguardando o voo para o Rio. Estou cansado, desanimado com a demora. Ficar num aeroporto durante tanto tempo é tão empolgante quanto comer um prato de chuchu. Não, acho que um prato de chuchu com shoyu tem mais sabor do que estar por aqui e não ter o que fazer. Já li, já comi, já andei, mas o tempo não passa. Já prestei atenção na conversa dos outros, já quase dei cascudos numa criança que insistia em passar debaixo da minha cadeira, já chupei trinta balas, já liguei para alguns amigos, já recebi ligações, já acordei e dormi, mas o tempo não passa.
Só me resta escrever...e é isso que estou fazendo. Tem uns adolescente aqui ao meu lado que tb estão reclamando da falta do que fazer. Eles, pelo menos, estão em bando e podem falar e rir das besteiras que os amigos falam. Eu tb posso rir dessas besteiras, mas não é muito educado ficar rindo do assunto dos outros.
Por enquanto, é o que tenho para fazer: olhar quem passa por mim e insistir aqui neste texto.

2 comentários:

  1. Oi meu querido,
    louvado seja Deus!
    Fiquei tão feliz com as notícias sobre a sua mãe!
    Que Deus continue abençoando o tratamento dela e fortalecendo a sua saúde.
    Agora vc já deve estar no Rio, então não se esqueça de mandar o meu beijo, já me sinto meio da família(vc sabe, eu pego amizade fácil).
    Muitos bj pra vc que eu gosto tanto.

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    E de repente escrever é salvação.
    Tenho um caderninho azul que viaja comigo por todos os lugares e me entrete nos aeroportos.
    Bom fim de semana e bençãos de saúde e paz.

    Cris

    ResponderExcluir