segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Poema (Cazuza/Frejat)

Se minha mãe estivesse por aqui, além de me ligar, por voltas das 10h, me contaria como nasci rápido, como se estivesse com pressa de chegar, como se o mundo não fosse me esperar. Nasci chorando, reclamando já de alguma coisa que não sabia bem o quê.

Quando ouço Poema de Cazuza/Frejat, sobretudo os versos "E o medo era motivo de choro, Desculpa pra um abraço ou consolo", lembro-me sempre dessa história de criança que me foi contada até pouco tempo. É uma boa lembrança.

Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim E que não tem fim

De repente, a gente vê que perdeu Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

2 comentários:

  1. Amanhã é niver do meu amadinho!
    Vai ter post bonitinho com bolinho e tudo mais não vai?
    Amanhã passo de novo pra te encher de bjs.

    ResponderExcluir
  2. nossa eu amei esse post, senti carinho e saudade de colo, e volto amanhã para te dar um abraço, e como presente deixe um selinho pra vc la na minha pagina, não precisa nem publicar, é so pra vc saber que gosto muito de você. bjs

    ResponderExcluir