segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Um beijo quase faz o sol nascer quadrado (texto)

No sábado passado, dia 20 de fevereiro, dua meninas, de 17 e 18 anos, beijaram-se num bloco do Rio de Janeiro, em um dos bairros mais "modernos" da cidade, o Leblon.
Alguém se sentiu ofendido e chamou a polícia. A alegação era a de que uma das meninas era menor de idade o que caracterizaria corrupção de menor.
As maneinas foram parar na delegacia. Não foram presas porque o delegado considera que beijo não é crime.
O G1 foi ouvir o que os moradores do bairro acharam desse episódio.
Perto da 14ª DP (Leblon), onde o caso foi registrado, a aposentada Lúcia Maria Barcelos afirmou que o ato praticado pelas meninas foge dos padrões normais da sociedade. "É uma questão pessoal, mas como eu explicaria isso para uma criança?", diz Lúcia.
Opinião contrária tem o vendedor Pedro Henrique Castro, homossexual assumido, que critica a postura do homem de 50 anos que denunciou o caso.
"Eu sou gay e achei homofóbica a atitude deste senhor, não teve necessidade desse tamanho exagero. Eu não beijo em público, com vergonha da minha mãe, mas fora isso não vejo problema algum", explica.
Beijar não é crime, diz delegado A denúncia do beijo foi feita por um homem de 50 anos e movimentou várias guarnições policiais. Com a chegada dos PMs, houve revolta de outros participantes do bloco, que defendiam o direito das moças se beijarem.
As jovens beijoqueiras foram liberadas, com a garantia do delegado de que beijar não é crime. “Se não houve corrupção de menores, ou violência ou grave ameaça, não é crime”.

Um comentário:

  1. Genteee, achei que isso tivesse acabado ou amenizado pelo menos na Z. Sul, onde 90% dos casais que eu vejo nas ruas ou nas festas tradicionais que ocorrem por lá, são homossexuais.
    O povo gosta de fazer graça...aff

    ResponderExcluir