segunda-feira, 15 de março de 2010

www. chatroulette.com (texto)

Gosto muito de internet. Muito mesmo. Tanto que ficar uns dias sem acesso é quase uma tortura. Além de gostar da internet porque posso, através dela, entrar em contato com os amigos, atualizar minhas páginas, ler jornais, revistas, pesquisar datas, pessoas, comprar livros, administrar a minha conta bancária,  copiar músicas e filmes etc., gosto de novidades, saber o que tem interessado as pessoas, aonde elas estão indo, o que descobriram.
Ontem descobri um site novo. Em geral conversar escrevendo não é muito a minha praia. Não tenho muita paciência (e agilidade) para escrever o que falo, prefiro mesmo uma conversa pessoal. Não uso  (com frequência) Messenger, skype ou outro programa para bater-papo.
Mas ouvi falar do site e resolvi fazer um teste. O endereço é www.chatroulette.com e ele é basicamente um lugar para encontrar pessoas desconhecidas (inclusive a justificativa quando da sua criação foi exatemente esta: poder conversar com estranhos ao redor do mundo).
Quando a gente entra na página do chat_roleta, abrem-se dois vídeos: o do desconhecido e o nosso. A proposta é, não gostou da cara, passa-se a diante.
A frequência é basicamente masculina. No horário em que eu entrei tinham 20.000 onlines. Tem de tudo: homens e mulheres, novos e velhos, vestidos e despidos. Muitos homens mostrando a genitália. Ontem à noite, fiquei uns 30 minutos experimentando o programa: conversei com uma brasileira de 12 anos (paulista) por alguns poucos minutos. Perguntei o que ela fazia (e procurava) ali e como ela encarava os tarados de plantão. Ela queria saber apenas se eu era casado. Next. (a gente e o outro tem a opção de passar adiante. Não gostou: Next!).
Fui passado adiante diversas vezes. Principalmente quando eram homens do outro lado. Algumas vezes eu nem conseguia ver quem seria meu próximo... NEXT. Era deixado de lado.
Vi adolescente dançando, outros cantando, alguns fazendo careta, homens se masturbando etc..
Depois conversei com um coreano (devia ter uns 17 anos); um canadense; um americano; uma francesa., dois turcos. Ah, é claro que a língua oficial é o inglês e é claro tb que a minha conversa era bastante pobre. Meu inglês é vergonhoso, mas eu tentava na medida do possível.
Foi divertido. Ri muito. Pena mesmo que não curto essa de papo via escrita, do contrário eu estaria no paraíso.

4 comentários:

  1. Oi meumorzinho,
    não garanto que vou lá, mas foi bom saber.
    Vc, conversa direta? Sei.
    Se eu estou cobrando alguma coisa? Nãoooooooooooooo, ainda me lembro daquele post do amor espontâneo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. ah, também conheci o tal do chat roulette essa semana. Achei bastante curioso e tinha me chamado a atenção o fato de em nenhum local vc precisar colocar um nome ou apelido como nos bate-papos normais e também não ter nem um controle, mesmo que falho, da idade do usuário. Os sites, pelo menos tem um aviso que é recomendado para maiores, não achei local apropriado para meninas de 12 anos, rs. Bom, é só o trem se difundir um pouco mais e o Ministério Público deve tentar proibir

    ResponderExcluir