quinta-feira, 29 de abril de 2010

Adoções homo e heterossexuais (texto)

O fato da justiça e mesmo de grande parte da opinião pública (se é que opinião púbica exista) ser contra a adoção de crianças por casais gays se deve, principalmente, ao fato de que se diz, por aí, que a orientação sexual dos pais de alguma forma influenciaria a orientação da criança adotada. Bobagem total! Sem nenhum fundamento que comprove essa besteira. Na verdade, tenta-se justificar o preconceito criando uma situação inusitada.
Pesquisas realizadas pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) constata que pais homossexuais cuidam muito bem de seus filhos, tão bem quanto casais heterossexuais podem cuidar.
Talvez um problema pelo qual a criança (a adotada por pais homosexuais) passe e tenha que receber ajuda em relação a isso seja na escola, justamente porque, como a maioria das escolas não está preparada para receber sequer alunos gays, não estaria tb preparada para receber filhos adotivos de casais homossexuais.
Fiquei pensando nisso, hoje, principalmente, porque li notícias de uma procuradora (aposentada) da justiça que espancava, humilhava a menina que estava sob a sua guarda (provisória).
Não houve nenhuma voz contrária, por exemplo, a esta adoção, porque a procuradora estava acima de qualquer suspeita. No entanto, aonde menos se espera (pelo menos o senso comum) é que mora verdadeiramente o perigo.
Uma outra questão importante é a que desconstrói o fato de que a orientação dos pais poderia influenciar a orientação sexual da criança: homossexuais, até onde se sabe, são, em tese, filhos de pais heterossexuais e nesse caso não houve nehuma influência dessa orientação em relação aos filhos. Por que o inverso aconteceria?
Não é uma questão definitiva, mas uma questão a se pensar.  
Tenho um grande amigo que é gay e que adotou uma menina. Ela é uma menina muito bem educada, recebeu muito carinho desse cara, e o chama de pai.

2 comentários:

  1. Concordo com vc.
    Agora, o que eu quero falar mesmo é sobre sua proposta lá no blog. Eu quuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuero sim. Vamos programar!!!!!
    Bjs meu Padoce de ceu azul

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo...

    E algo que me deixou feliz esta semana foi a notícia do casal homossexual do RS que conseguiu o direito de registrar os filhos gêmeos (frutos de inseminação artificial) com os sobrenomes das duas mães.
    Para nosso país isso é ótimo, e talvez um grande passo no caminho da adoção por casais homossexuais.

    Abraço.

    ResponderExcluir