quarta-feira, 7 de abril de 2010

A obviedade das chuvas (texto)

É demasiadamente triste ver as cenas de pessoas desesperadas em busca de possíveis sobreviventes depois da enchete que lavou o Estado do Rio de Janeiro. Pessoas que perderam filhos, mães, sobrinhos, tios, vizinhos, amigos além de bens materiais. Fiquei hoje, assim como ontem, desanimado diante de tanta miséria, do descaso de quem ganha dinheiro e tem por atribuição administrar a cidade. A velha conversa de que anos de abandono deixaram a cidade dessa maneira.
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, fez parte de outras administrações da cidade. E tem a cara de pau de afirmar que "mais de uma década de descaso deixou a cidade do Rio no estado em que se encontra", como se não tivessa absolutamente nada a ver com esse descaso.
Tem culpa sim. É responsabilidade dele, porque é ele o prefeito da cidade, porque depende dele a fiscalização, porque é a prefeitura a responsável pela limpeza da cidade, a sua administração tem sim a obrigação de manter a cidade limpa.
Tanto choque de ordem serve pra quê? Promoção de uma prefeitura que pouco se importa com as coisas que realmente importam: a vida das pessoas.

Um comentário:

  1. As enchentes que castigaram São Paulo e agora o Rio deixam transparecer um discurso cruel e infelizmente reproduzido pela mídia de que toda a responsabilidade pelas enchentes é do indíviduo e não do poder público. Em São Paulo fizeram questão de filmar boeiros e mostrar a quantidade de lixo, mas não apontaram a falta de investimento no sistema de escoamento da água, estimular e implantar novos modelos arquitetônicos que possibilitem a absorção da água da chuva. No Rio a culpa é do excesso de chuva - como se nunca chovesse -, do relevo da cidade - como se o relevo fosse algo surgido do nada -, dos pobres favelados que jogam lixo em qualquer lugar - quem é responsável por oferecer educação ao povo mesmo? Nestes casos, os reias responsáveis aproveitam para em vez de tomar atitudes concretas, tentar "ganhar" a opinião pública, e talvez, mais votos, criticando gestões que os antecederam, desviando o foco.Lamentável...

    ResponderExcluir