segunda-feira, 14 de junho de 2010

Novas tendências em Análise do Discurso, São Longuinho e aquele medo de um texto que insiste em não ser texto (texto)

Hoje fiquei em casa para poder iniciar um texto que devo apresentar na sexta-feira sobre as "Novas tendências em análise do discuso". Não foi muito produtivo, porque ao mesmo tempo em que estou sentando diante deste computador pensando no trabalho (fazendo as leituras, escrevendo, relendo e reescrevendo-o), desejo tomar café, colocar a casa em ordem, atender o telefone, responder e enviar e-mails, passar no orkut, ou seja, me desconcentro muito. 
Às 14h eu ainda não havia almoçado e tb não havia escrito dois parágrafos desse texto que insiste em permanecer em silêncio.
Nem significante nem significado.
Parti da ideia de que o uso da preposição na expressão Em Análise do Discurso poderia provocar a suposição de uma homogeneidade e unidade em tais estudos. Depois caminhei na direção de que um nome próprio designando um campo de saber apaga as fortes diferenças teóricas que sustentam diferentes modos de conceber e analisar a língua, a produção de sentidos, a historicidade e o sujeito
E parei por aí. Estou num mato com cachorro, eu sei, mas sem pernas e olhos para encontrá-lo. Podia pedir a São Longuinho para encontrar esse texto, mas como encontrar alguma coisa que não foi perdida?

4 comentários:

  1. Minha Nossa Senhora dos textos difíces!
    Tb dou uma "agarrada" assim de vez em quando.
    Mas é igual parto, uma hora tem que sair.
    Bjs meu amadinho.

    ResponderExcluir
  2. Profe querido, você também está na blogosfera! :) Bom saber! Quando eu tiver saudades das suas aulas, passarei por aqui!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Profe querido, você também está na blogosfera!
    Que bom te encontrar por aqui. Quano eu tiver saudades das suas aulas, vou te visitar aqui!
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Aaaa que saudade da faculdade que me deu agora... Mas uma coisa é certa: trabalhamos melhor sob pressão! Deixa chegar mais perto da data.. hehehe
    beijos prof.

    ResponderExcluir