terça-feira, 22 de junho de 2010

O relógio que marca_mata_acrescenta (texto)

É claro que viver não é fácil! Nem simples. Nem logo ali. Viver, já dizia o poeta, não é preciso. Ou ainda, como dizia Clarice, Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.
Por tudo isso e muito mais, não quero me acostumar com o que me faz sofrer. Não quero precisar de alguém pra ser feliz. Não preciso da aceitação do outro para ser quem eu acho que sou.
Não me basto, é verdade. Mas não preciso sofrer porque alguém não me quer. Não devo me entristecer porque o outro não faz aquilo que deveria fazer. Todos nós temos um limite.
No máximo, mando (e olhe lá) na minha vida.
Não estou a disposição de ninguém. Não quero um telefone tocando para que eu possa sair para jantar. Preciso apenas de uma noite estrelada.
A tarde azul me faz feliz. A árvore colorida me alegra. O silêncio me inspira. Viver não é fácil nem simples, como alguns gostam de afirmar. Viver é assustador! É a cada dia, mais um pouco.
Mas o que é a vida senão essa incerteza? O relógio que mata/acrescenta mais um segundo.

2 comentários:

  1. Amormeuzinho hoje não tá bom não né!
    Então, só pra perguntar recebeu o email? Ficou com duvidas? Se precisar estou aqui viu.
    Sou oferecida mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. poucas vezes a gente pode ler algo que nos traduz tão bem, peço a sua permissão para plubicar esse texto no canto, com as devidas referência a sua autoria.

    beijos

    ResponderExcluir