domingo, 5 de setembro de 2010

Da Série Contos Mínimos

Quase um ano depois ele sentia como se fosse logo ali aquela perda. Além disso, pensava em como os sentimentos se descongelam. Uma imensa dor agora uma enorme saudade.
Sabia que chegaria a sua vez, mas que, diferentemente, a saudade seria outra.
Lia para se ocupar. Escrevia por motivos muito próximos disso. Os dias eram costurados, em princípio sem muita ordem, para fazerem algum sentido depois.

2 comentários:

  1. ah sentimentos íntimos que conheço bem, por aqui fará um ano já no dia 09,um ano... como passa rápido o tempo, e deixa tanta poeira levantada na cabeça da gente quando remexemos a mobília. ah saudade... lindo texto Alê, adoro ler o que vc escreve, mas vc ja notou isso né? rs bjs querido e olha só, eu sei que vc sabe mas quando quiser vc tem meu e-mail né?bjs

    ResponderExcluir
  2. Dias costurados... Você escreve bem. Gosto de microcontos, gosto de contos.

    ResponderExcluir