domingo, 2 de janeiro de 2011

Trabalho sujo (filme)

É claro que não vou indicar nenhum filme. Não faço mais isso. Tem sites, blogues especializados, profissionais espalhados em todos os meios de comunicação disponíveis que fazem disso um trabalho. Não é o meu caso. Tb não vou resenhá-lo aqui (refiro-me ao filme Trabalho sujo), há resenhas em quaisquer jornais, revistas, etc & tal.
No entanto, a partir do que vi e do que conversei com a minha companhia preferida, preciso dizer que às vezes estamos numa merda e tanto, atolados até o pescoço e ainda cavando o nosso próprio buraco (seja por conta de alguém que não nos quer, por conta de alguém que morreu, por conta de um trabalho que não nos dá prazer algum, por falta de grana, por uma doença ou seja lá o que nos faça sentir péssimos. Motivos não nos faltam!), a auto-estima no pé, sem perspectiva etc. etc. etc.
Tudo isso seria suficiente para atirar na própria cabeça e por fim a tudo o que nos incomoda. Mas, podemos tb, por outro lado com o que nos é possível naquele momento fazer dessa meda toda (que é a vida real, aquela lá fora que sente fome, dor, solidão, tristeza etc.) dizer: ok, tá tudo ruim e o que faço com isso tudo? Me entrego a essa bosta totalmente ou desse limão faço uma caipiroska?
Dessa vez opto pela bebida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário