domingo, 13 de fevereiro de 2011

Radar Gay ou Gaydar (texto)

Aplicativos destinados ao público gay para iPhone, iPad e iPod touch já contam com mais ou menos 1,3 milhões de perfis cadastrados em aproximadamente 180 países (fonte: revista Época edição 665 de 14 de fev. de 2011). Esses aplicativos são uma espécie de GPS gay, ou seja, basta que um perfil seja cadastrado para que o sistema de geoposicionamento via satélite ajude a localizar os gays,  bissexuais, simpatizantes ou curiosos que estão nas redondezas.
As redes dão informações básicas dos usuários, tais como idade, cor, peso, altura e uma breve descrição pessoal. Uma vez que o usuário faz o seu cadastro, o seu celular fornece, em tempo real, os dados sobre a sua localização para outros membros da rede.
É um facebook, orkut ou quaisquer que sejam outras redes  sociais semelhantes, com o acréscimo da informação da distância entre os usuários. A organização se dá pela distância: do mais próximo ao mais distante.
É possível trocar fotos, bater papo em salas específicas.
Dentre os mais populares estão o Grindr, o boyahoy, o Purpll e o Qrushr este com uma versão para as lésbicas.
Podem ser baixados gratuitamente, embora alguns tenham uma versão paga.
No Brasil, pouco mais de 13 mil usuários estão cadastrados. Um alcance relativamente baixo, não se levarmos em conta o preço dos aparelhos.
Dizem que o público gay masculino ainda domina os aplicativos, "talvez porque os homens são mais abertos a conhecer parceiros via on-line e sempre foram os que primeiro abraçaram as oportunidades que as novas tecnologias trazem na busca de relacionamento," afirma o criador de um dos aplicativos.
No entanto, o criador do Grindr afirma que versões para o público heterossexual está sendo desenvolvida. É baixar e fazer um teste. Quem sabe aquele amigo(a), amor ou a aventura sexual não esteja bem ao seu lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário