segunda-feira, 11 de abril de 2011

Que só quando eu cruzo a Ipiranga com a Avenida São João (texto)

Acabei de chegar de São Paulo, foram apenas 2 noites e 3 dias. Bem pouco para uma capital com tanto para fazer, muito para ver, quantidades de lugares para ir.
Fiz quase nada, diante de um mundo. A ida foi motivada pelo show do U2, que merece um post exclusivo. Fica pra depois. Mas, honestamente, fiquei mais feliz por estar em Sampa.
Primeiro porque participei da comemoração de 8 anos do casamento de amigos, e nessa festinha, pra poucos, me diverti muito. Éramos onze, com os anfitriões, ou seja, um pequeno comitê. Participei quase que por um acaso...de qualquer forma foi bom demais estar por lá. Ri muito, conversei bastante, me senti como se fosse velho amigo dos amigos dos amigos.
No sábado, depois de uma sexta-feira meio alcoólica, acordei relativamente tarde, mas o Conjunto Nacional eu não poderia perder. Fiquei boa parte da manhã em volta dos livros e CD´s. Pena não ter grana suficiente para comprar tudo que me fez suspirar. O saldo foi positivo, posso dizer assim.
Em seguida, almocei com um velho amigo (Cacau) e passamos a tarde juntos. Comemos num lugar delicioso, comida tailandesa. Todos os gostos, cheiros, sabores me impressionaram. Muito. Além disso, o papo foi divertido. Colocamos um pouco dos assuntos em dia. E daí para a Augusta e Frei Caneca foi um pulo. Menos até.
Mas não é exatamente isso que me encanta na mais capital das capitais, é alguma coisa que só se encontra por lá. Gente demais na rua sem que se tenha essa impressão, gente em toda a parte e em todos os lugares sem que isso seja alguma coisa para se achar fora do catálogo. E tb fazer parte disso sem que isso seja um tom acima do demais.
Meus amigos reclamam do cada um por si da cidade, eu tb reclamaria, com certeza, mas estava ali de passagem e isso, inclusive, me fazia bem. Mais um na multidão. Tudo é tanto, tanto é tão grande, muito é demais que dois olhos são poucos para ver o que se passa, quem passa, como se passa. Um ano é pouco pra São Paulo.

2 comentários:

  1. AMO AMO AMO AMO AMO AMO SÃO PAULO

    é caótica, suja, violenta, barulhenta

    mas é linda, histórica e moderna ao mesmo tempo
    e essa esquina então...ai ai...rs

    bjs meu querido

    ResponderExcluir
  2. São Paulo faz parte da época mais feliz da minha vida (até o momento). A cidade tem a cara do meu pai e da minha mãe, dos domingos no Ibirapuera, da saida da escola com as amigas quando íamos até as banquinhas da avenida paulista comprar porcarias,dos passeios ao planetário! Cara! O tempo em São Paulo não existe, tudo é agora. Muita saudade!

    ResponderExcluir