quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

A arte de fazer uma visita (texto)


Tava aqui pensando com os meus botões sobre A Arte de fazer uma visita, ou sobre, se houvesse, O manual do visitante. Como seria uma visita ideal? Como se deve se comportar quando se é uma visita? São tantas perguntas sem respostas. Vou tentar descrever como seria o meu visitante ideal.
Lição nº 1: saber se pode ser recebido é essencial. Ninguém deve ir à casa de ninguém sem saber se o anfitrião pode te receber. Isso é básico. Não dá para chegar à casa de um amigo (para ficar) sem ser anunciado;
Lição nº 2: visita tem que ter prazo de validade. Há de se deixar claro o dia de ir embora, justamente porque a Lição nº 2 diz respeito à Lição nº 1 (você não pode chegar para um fim de semana e ficar 15 dias sem avisar ou avisar que vai ficar 15 dias apenas quando chegar para a visita);
Lição nº 3: lembre-se sempre de que, por mais à vontade que você possa se sentir, você está na casa de outra pessoa. Isso é fundamental porque diz respeito a todas as demais Lições;
Lição nº 4: você deve ser uma pessoa ATENTA, ou seja, deve perceber o modo de vida do seu anfitrião. O que ele gosta e, principalmente, o que ele NÃO gosta;
Lição nº 5: os horários são fundamentais, sobretudo se você chega e se instala na casa de alguém. Não dá para tomar café da manhã quando o dono da casa está almoçando ou chegar para dormir quando o dono da casa está acordando (é claro que essa lição, ou qualquer outra, pode ser negociada. Só não dá para não haver negociação, ou seja, partir de um pressuposto. Não existem pressupostos quando se é visita. Os pressupostos são de quem te recebe), mas é educado não alterar a rotina da casa;
Lição nº 6: se você tem hábitos de se levantar muito cedo e o seu anfitrião não. Você pode se levantar (é claro), MAS NUNCA produzir ruídos que possam incomodar quem te recebe (atender telefone, falar alto, colocar música, bater na porta etc.). Pense que O SONO É SAGRADO (e se alguém está dormindo é porque está descansando);
Lição nº 7: ainda que o seu anfitrião seja uma pessoa desorganizada, você não deve/pode agir da mesma maneira. Você, como visita, deve manter a ordem, ainda que ela pareça não existir. Se o seu anfitrião é organizado (mais do que você gostaria ou é), vale sempre a Lição nº 4, ou seja, NÃO É VOCÊ QUEM DETERMINA, mas quem te recebe. Ser ATENTO é saber observar o funcionamento do seu anfitrião e da casa que te acolhe;
Lição nº 8: perguntar excessivamente se pode fazer isso ou aquilo também pode ser desagradável. Por isso, vale sempre a Lição nº 4;
Lição nº 9: não insista;
Lição nº 10: ficar tempo demais ao telefone também não dá; convidar outras pessoas para te acompanhar quando da visita também não (a não ser que o seu anfitrião lhe dê o seu consentimento. Não dá para perder de vista à Lição que diz respeito aos pressupostos);
Lição nº 11: chegar bêbado, drogado, andar pelado pela casa, tudo isso é desnecessário e desaconselhável, mesmo e ainda que você se sinta em casa;
Lição nº 12: ser invisível na medida certa, nem mais, nem menos.
Como eu escrevi, tudo pode ser negociado. E tb como eu escrevi SÓ NÃO DÁ PARA SIMPLESMENTE ACHAR QUE PODE TUDO.

Um comentário:

  1. Alexandre o tempo pra quem escreve se encontra na pausa entre uma escrita e outra. To pausada há alguns dias. De vez em quando me bate um profundo cansaço de escrever, escrever, escrever. Enão leio, leio, leio. Para voltar a escrever, escrever, escrever. Vc também é refém disso? Estive aqui, li, analisei, vasculhei, achei lindo o que vc escreve, tão lindo quanto o pano de fundo que reproduz tábuas envelhecidas pelo tempo. Gostei de tudo paranaense. Voltarei, já favoritei. Bj.

    ResponderExcluir