quarta-feira, 25 de abril de 2012

O dia em que o mundo virtual parou (texto)

Hoje, durante a tarde, aqui em Cascavel, pane total nos serviços de internet e telefonia celular. Nem sei se não estou escrevendo uma grande besteira quando me refiro a dois serviços distintos: internet e celular. Vai ver é uma coisa só: os cabos de fibra ótica quando rompidos produzem, ou melhor, não-produzem as conexões, sejam elas para a internet ou telefonia celular.
Sei que quase infartei porque eu tinha que enviar mais de 20 arquivos (bem mais de 20) para a CAPES e a conexão da internet parecia com aquela discada de poucos anos atrás.
Hoje, quando, uma página demora mais do que alguns segundos para "abrir" a gente já está sem paciência. Dia desses, uma amiga me contou que o seu filho reclamou porque a internet não funcionava direito. Segundo ela, ele dizia: "Que porcaria de serviço, nunca presta quando a gente mais precisa."
Segundo ela tb fazia, pelo menos, uns dois anos que o serviço não falhava. Mas basta que pife uma vez a cada dois anos e por míseros 5 minutos que a gente já acha aquilo o cúmulo da mal prestação de serviços.
Ficamos sem fogão, sem geladeira, sem amor, mas sem internet, ah, por favor. Sem internet não dá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário