sexta-feira, 27 de julho de 2012

Navegar impreciso

hhttp://www. O que mudou depois de 14 anos de web? Fiquei hoje pensando sobre todas as mudanças proporcionadas com a chegada da internet aqui no Brasil (na minha casa, no meu celular). A onipresença da rede no nosso dia a dia: compras, trabalho, relacionamentos, educação, entretenimento, informação e tantas outras interferências diretas e indiretas.
Esta semana, encontrei um endereço de um professor da Universidade de Lisboa, enviei um email para ele e pronto: aquela distância impossível que nos separava de todo o resto do mundo não existe mais.
Claro que não é tudo sempre assim, fácil, rápido, ao lado e ao alcance da ponta do dedo. Não mesmo. O acesso ainda é restrito, para poucos. A acessibilidade não é democrática (aquela mesma história da tv digital: para todos desde que se tenha uma tv, uma antena, um decodificador etc. etc. etc.). Sabemos todos que ainda existem muitos excluídos desse processo.
No entanto, não dá para pensar mais, não pelo menos no meu dia a dia, em viver sem ela: meu trabalho seria quase impossível sem a rede de alcance mundial (World Wide Web = WWW), sem o HTTP (HyperText Transfer Protocol - Protocolo de Transferência de Hipertexto), sem essa telinha mágica que nos transporta e nos informa com a agilidade de um tempo que não dá às vezes para medir.
"De jangada leva uma eternidade, de saveiro leva uma encarnação", pela rede apenas um toque e estamos em qualquer lugar. O mundo não é grande, ele cabe dentro de megabytes. E toda a distância é mínima diante das possibilidades da rede mundial de computadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário