quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Eu tenho algumas manias, por exemplo, não consigo estudar se  a casa estiver desarrumada. Tudo bem, isto não é mania é transtorno obsessivo compulsivo (TOC), tenho que assumir.
Mas eu queria mesmo era falar de uma mania que adquiri em virtude do uso da internet: eu não posso ler um nome próprio que tenho que procurá-lo no google. 
Só para ter uma ideia dessa nova tara:  se estou lendo alguma notícia e nela aparece algum nome (completo), preciso imediatamente fazer uma busca nas redes sociais ou nas páginas do Google. Por exemplo, acabei de ler uma notícia no G1 sobre dois irmãos de Ohio, Estados Unidos, que tiveram a prisão pertétua decretada por terem assassinado um traficante de drogas em 1987. Fui atrás dos nomes dos dois irmãos. Em seguida, na mesma matéria, fui informado de que duas décadas e meia depois, uma mulher identificada como Mary Evans postou na rede social uma notícia sobre o ocorrido. Fui em busca tb desse nome.
O pior disso tudo é que eu não faço nada com o que encontro, preciso apenas buscar as informações  e me dou por satisfeito.
Dia desses a piração foi além do limite: estava eu relendo um texto teórico de análise de discurso (AD) francesa (O chapéu de Clémentis, de Jean-Jacques Courtine). Neste texto, o autor faz referência ao comunista Klement Gottwald e a uma fotografia cuja imagem é bastante significativa para a AD, fui atrás da tal fotografia até encontrá-la.
Não me sinto (muito) incomodado com essa necessidade, mas as vezes cansa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário