segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

EU ACUSO!


   Parafraseando Émile Zola, eu acuso, mesmo que ninguém me pergunte, diversas pessoas e entidades de Santa Maria, pela tragédia do incêndio da Boate Kiss, neste domingo de luto, dor, lágrimas, morte, perplexidade.         
Quando falo em diversas pessoas, eu quero dizer todos nós, que achamos que a lei de prevenção de incêndio não é para valer. Santa Maria teria sido o primeiro município do Estado a contar com uma lei de prevenção de incêndio, que acabou por ser usada como referência para a lei estadual no mesmo sentido.
         Mas, exatamente aqueles que aprovaram a lei foram os primeiros a descumpri-la, ou seja, até hoje 90% das escolas públicas, municipais e estaduais, não contam com sistema de prevenção de incêndio, depois de mais de trinta anos, colocando em risco a vida e a segurança dos servidores, dos professores e, quem está preocupado com isto?, de milhares de crianças. Eu acuso o Estado e o Município como responsáveis!
         Passei 22 anos brigando para exigir que os locais de aglomeração de público, tais como boates, estádios, prédios de apartamentos, escolas, centros de tradições, clubes, para que tivessem sistema de prevenção e combate a incêndios, tudo em vão. Eu os acuso como responsáveis!
         Inúmeras boates foram fechadas por liminar do Poder Judiciário por falta de condições de segurança contra incêndio, mas reabertas logo a seguir com a cassação da medida antecipatória porque eles provavam ter feito as adaptações necessárias e, logo que recebiam o alvará, desmontavam o sistema. Eu os acuso como responsáveis!
         O esporte favorito de alguns políticos locais era defender boates sem condições de segurança, sob a alegação de que a atividade criava empregos, o que é verdade, mas esquecendo que também criava risco de morte. Eu os acuso como responsáveis!
         Eu me acuso, como membro do Ministério Público, por não ter feito mais, com culpa ou sem culpa. Aí está, desde 1963, o prédio da Avenida Rio Branco sem nenhuma manutenção e há anos com inúmeras decisões judiciais e de pé, como se tivesse sido construído ontem. O esqueleto nos olha desafiador, gozando de nossa cara! Quando cair, quantas pessoas morrerão? Bobagem, o Adede é um idiota, todo mundo sabe, pretensioso e metido a engenheiro. O prédio não vai cair, nunca!
         Eu só não acuso as vítimas, porque estas só queriam viver a vida, e um bando de irresponsáveis não permitiu isto. Um bando de irresponsáveis, do setor público que só pensa nos votos da próxima eleição e do setor privado que só pensa no lucro.
         As vítimas viviam a vida que lhes era própria, com festa, com sorrisos, com cabeça leve e espírito jovem, o que era um direito seu.
         Não podemos crucificar ninguém sem investigação séria e julgamento justo, mas também não podemos minimizar as responsabilidades. Eles podem fugir e se esconder, mas não para sempre.
         Não foi uma fatalidade, mas a soma de irresponsabilidades.
         Que cada um assuma a sua.
         Eu acuso!
texto publicado em:
http://adedeycastro.com/2013/01/27/eu-acuso/

Nenhum comentário:

Postar um comentário