quarta-feira, 7 de maio de 2014

Da Série Contos Mínimos



Este tipo não se dava conta do ridículo do que escrevia, e por inferência, de como pensava. Vivia reproduzindo comentários racistas, sexistas, homofóbicos e preconceitos sociais como se estivesse protegido pela verdade. Dia desses, se confrontou com a realidade: enquanto distraído postava pelo smartphone deu com a cara numa porta de vidro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário