sábado, 25 de abril de 2015

Da Série Contos Mínimos

Viveu o seu último ano afastado de tudo. Pensou que assim estaria protegido de sentimentos piegas, sobretudo de pena. Os seus dias não eram fáceis: dores insuportáveis, calafrios, falta de ar, ausências. Mas havia aquele silêncio que lhe permitir dormir e acordar em outros lugares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando ir embora?

Saber partir não é fácil, sobretudo quando o coração da gente insiste em querer ficar. S empre é uma decisão complicada porque há um confli...