segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Da Série Contos Mínimos

Não me lembro ao certo quando foi que deixei de confiar nas pessoas. Talvez isso tenha acontecido faz algum tempo. Talvez seja recente. Sei apenas que diante de alguma pista mínima que seja de desconfiança soa um sinal de alerta para que eu abandone o barco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário