quarta-feira, 15 de junho de 2016

Da Série: Contos Mínimos

Encontrei um relógio que desmarca as horas. Fui voltando.  Voltando até que reencontrei a minha mãe sentada na varanda. Fui voltando até que a saudade não existia mais. Mas o relógio não parava. Cheguei a minha infância, de volta a sua barriga, ao seu desejo. Resolvi ficar por lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aquela mão

Sabe aquela mão que vc segura quando é criança e se sente seguro? Tava precisando de uma assim. Nos resta , depois de adulto, apenas a poss...