quarta-feira, 20 de março de 2019

O amor dorme

Todo amor dorme: numa caixa, numa gaveta, num sala escura que às vezes visito...

Uma média de 3 trabalhos por mês...

Era para ser um primeiro mês de descanso. Não foi! Não está sendo. Uma defesa de dissertação/tese por semana. Todos os planos para este primeiro mês foram por água abaixo: ler apenas o que eu quisesse, escrever um pouco em virtude de tudo o que deixei de fazer no ano anterior tb por excesso desses trabalhos.
Hoje, conversei com a minha ex-orientadora e amiga que me aconselhou diminuir a participação em bancas de defesa/qualificação. 
Vou seguir o conselho. Segundo ela, esse descontrole acaba afetando a nossa produção de leitura/escrita, de pesquisa. E ela tem toda razão.
Por curiosidade, fiz um levantamento das bancas dos anos anteriores: em 2017 foram 35 bancas; em 2018, 27 bancas; em 2019, nos 3 primeiros meses, 8 bancas.
Em 2017 foi uma média de 3 trabalhos por mês: é demais! A gente fica o tempo todo lendo trabalho de aluno: corrigindo, sugerindo, relendo os mesmos textos.
Essas leituras contribuem pouco para a nossa produção intelectual: é importante ler mais teóricos, ler o que os amigos estão escrevendo para produzir mais.
Preciso, de verdade, equilibrar os trabalhos. Se eu lesse 1 trabalho por mês já seria bastante e eu estaria contribuindo com os trabalhos dos amigos que orientam mas não estaria deixando de fazer outras coisas que tb são importantes na academia.


segunda-feira, 18 de março de 2019

Sebastian

A imagem pode conter: 2 pessoasHoje estava eu rindo da gente. Rindo de vc, pra ser sincero. Dos seus esquecimentos, das suas trocas de palavras, dos seus atos falhos: para dizer ventilador, vc dizia chave, armário, cadeado, elevador e tanto e tanto mais. 
E pensando, pensando que se vc estivesse vivo muito provavelmente estaríamos morando juntos. Eram os meus planos.  E se eram os meus planos, estaríamos mesmo. Vc foi um grande amigo, talvez o mais próximo de todos, sabe-se lá pela minha insistência em tê-lo por perto. Sabe-se lá...
Viajamos, comemoramos juntos nossos aniversários muitas vezes, nos encontramos em outras cidades, rimos muito, choramos bastante e, sobretudo, nos divertimos ... tanto... durante os nossos longos curtos tempos de nós dois. Quanta saudade de vc!

Da Série: Contos Mínimos

Resultado de imagem para uvaO gosto da primeira uva que pus na boca me fez lembrar de vc. Não que eu me esquecesse de ti. Nunca. Era um sabor na minha memória que dizia algo da gente. Aquele cheiro de nossa casa, da sua mão nos meus cabelos, da sua voz macia  me contando alguma coisa, tudo isso me veio assim no gosto da primeira uva que pus na boca.

Como encontrar os óculos perdidos sem enxergar?

Coloquei, assim que acordei, meus óculos sobre a bancada da cozinha. A bancada é preta e a armação dos óculos escura. Fiz o que tinha para ...