sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

10 anos de insistência

Resultado de imagem para 10 anos
Dia 24 de janeiro, este blog completou 10 anos. Fico feliz por, ainda que com menor frequência, conseguir mantê-lo na ativa.
Continuo escrevendo sobre o que gosto/não gosto, sobre música, sobre a situação política do país, sobre as minhas impressões sobre a atualidade. É um espaço tb para lembranças e registros daquilo que não cabe apenas no mundo  acadêmico.
Vezinquando tem poesia, música, filmes. E, ultimamente, muito Contos Mínimos. Acho que eles acabaram tomando conta do espaço.
Como eu disso, a frequência não é mais a mesma, mas de tempo em tempo estou um pouco mais inspirado e consigo aparecer por aqui algumas vezes.
Obrigado a vc que por aqui passa para dar uma olhadinha.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

"Meninos vestem azul, meninas rosa!"

Resultado de imagem para damaresA atual ministra da Família, Mulher e sei lá o que mais, disse, depois de sua posse, para um grupo que a acompanhava, que "entramos em uma nova era: meninos vestem azul e meninas vestem rosa". E disse tb depois do tal vídeo viralizar nas redes sociais que se tratava de uma metáfora. E aí se explicou com outra bobagem dessas que serão, pelo jeito, muito comuns neste governo por se tratar de um governo, tal como o do golpista-Temer, uma piada.
Duvido muito que a tal ministra saiba o que é uma metáfora. Duvido mesmo. Duvido tanto que na sua explicação sobre a metaforização, ela voltou a falar sobre ideologia de gênero.
Na concepção dela Ideologia de gênero seria aquilo que "eles dizem" (eles quem?) sobre menina não ser menina e menino não ser menino. Isso além de demonstrar uma tremenda ignorância, não caberia na boca de uma ministra porque demonstra tudo o que ela NÃO sabe.
Há tanto o que se fazer em virtude de que há tanta desigualdade no país, né não? 
A ministra deveria tá trabalhando e não tomando conta ou achando que pode dizer o que meninos e meninas devem fazer, vestir, brincar ou o que quer que seja.
Não acho que este governo terá cuidado com o que diz: basta lembrar do que o filho do presidente disse em uma sala de aula sobre o STF, ou as explicações que foram dadas pelo outro filho sobre a movimentação financeira do seu motorista. 
Vai ser um prato cheio para os memes, para as piadas, para que a gente se divirta com as trapalhadas.
Agora mesmo, acabou de sair uma nota sobre a alta do IOF anunciada pelo presidente, mas desmentida por sua equipe. O governo da piada pronta. 
Não estou torcendo contra, é claro, porque faço parte deste país e se o país quebrar, quebro junto. Mas sei que, além de raiva, vou rir bastante.


quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Reforma - Parte 1000

Resultado de imagem para enlouquecendo com a obraPor que a gente enlouquece com uma reforma? Por mil motivos. E todos eles acontecem ao mesmo tempo. 
O pedreiro nunca está quando vc precisa dele. Não atende o telefone e não dá sinal de vida no whatsApp. Se preciso de alguma informação que depende dele ... fico esperando...sempre.
Ele não some quando precisa pedir aquele adiantamento no pagamento mesmo quando vc combinou que a última parcela sairia depois da obra terminada.
Nada do que vc precisa com urgência, chega com urgência. A gente descobre que a urgência é apenas nossa: o cara tem outras mil encomendas para entregar além da sua. E, muito provavelmente, tá todo mundo aguardando com urgência o produto tão esperado.
O rapaz que veio instalar o boxe do banheiro descobre no início da instalação que a furadeira (dele) não é adequada para o trabalho que ele veio fazer. Ah, como é isso mesmo?
O pintor diz que vai pintar o seu quarta na segunda-feira, agora é quinta e ele continua dizendo isso, mas já sei que não vale para esta semana. E talvez não valha nem para a próxima.
A instalação dos vasos sanitários só estavam dependendo da pintura do banheiro. Faz mais de uma semana que os banheiros estão pintados e os vasos continuam vagando pela casa como se ele não fosse necessário.
Comprei com urgência as portas, as luzes, mas tudo continua jogado num canto a espera daquele profissional que viria na semana passada para fazer o serviço.
Poeira, livros, colchão ocupam os mesmos espaços e nada se sente fora do lugar. Estou no meu limite. Vou tomar um banho bem frio para ver se relaxo!

domingo, 28 de outubro de 2018

28 de outubro

Acabei de votar. Minha seção estava praticamente vazia. O local de votação, como um todo, estava quase sem ninguém. Bem diferente do 1º turno, quando havia filas. Muito provavelmente, pela quantidade de elegíveis. Dessa vez é bem mais fácil: ou Haddad (13) ou o outro (17).
Como disse na postagem anterior, não fui votar sozinho: fui com muitos amigos que acreditam e apostam na Democracia com o D BEM GRANDE.
Viajo agora à tarde e vou acompanhar a apuração no Rio, extamente como fiz há quatro anos. No último pleito para presidente eu ainda votava na Guanabara e estava lá para votar no segundo turno entre o 13 e o outro (45).
As pesquisas anunciavam Aécio Neves como favorito. A apuração começou pelo sul e ele já se considerava presidente. Virou quando foram computados os votos do Nordeste. Dilma (13) venceu!
A Lapa comemorou a virada. Eu comemorei junto. Fiquei muito emocionado com a vitória dela, ainda que com uma margem  pequena de votos entre eles.
Nesta eleição, segundo pesquisas, o Rio está apostando no outro (17). Tenho lido que em MG, SP e RJ ele deve ganhar.
As pesquisas são um termômetro, mas não são exatas. Expressam o momento da pesquisa, mas tudo pode acontecer. Na última pesquisa de 2014, do Datafolha, Dilma aparecia com uma pequena vantagem sobre o Aécio, mas falava-se em empate técnico.
Dessa vez, o outro aparece com 10 pontos a frente do Haddad. Me parece que mais difícil, mas eu não perco a esperança, de jeito nenhum, até o final da apuração. É aguardar para ver. 

sábado, 27 de outubro de 2018

Meu voto é pelo direito à diferença, pela Democracia

Resultado de imagem para voto pela democraciaAmanhã, e não vou votar sozinho. Vou com uma legião de amigos reais e virtuais que acreditam na Democracia com D maiúsculo. 
Vou com a minha mãe que lutou a vida inteira pela educação pública e que me ensinou a gostar de pessoas e de livros.
Vou com alguns ex-professores e ex-professoras das escolas por onde passei e aprendi a gostar de História e de Literatura. 
Vou com alunos e alunas, ex-alunos e ex-alunas, vou com os funcionários da instituição na qual trabaho. 
Vou com orgulho da minha profissão e da forma como ensino. 
Vou com todos os livros que li nessa vida. Com os abraços que troquei, com os beijos que distribuí. Amanhã vou votar pela Liberdade, pelo respeio às diferenças, pela mulheres, pelos LGBTQI+, pelos negros, por todas as minorias. Amanhã vou votar por mim.

Da Série: Contos Mínimos

Resultado de imagem para em qualquer parte do seu coraçãoNos encontramos depois de muitos anos. Disse a ele, com medo dessa distância se tornar recorrente, que viveria em qualquer parte do seu coração. Ele não me disse nada. Continuei assim: apostando na vida..

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Reforma - Parte II e III

A reforma, aqui em casa, as etapas acontecem concomitantemente, o que visualmente pode ser bom, mas não menos angustiante porque vc está vendo uma parte que sai do lugar enquanto outras continuam no pó.
Começaram a revestir um banheiro, o que, como efeito de sentido, é positivo porque vc começa a visualizar como aquilo que estava na loja, depois numa caixa jogada no meio da obra, é na prática, ou seja, na parede.
Mas, é claro, que isso não faz com que vc se esqueça de tuido o que falta e se concentre nela (na falta). 
Se eu tivesse contratado equipes distintas, acho que a obra teria chance de terminar um pouco antes uma vez que, penso, uma parte dependeria da outra e assim haveria uma pressão maior para que cada um terminasse a sua parte o quanto antes. Acho que não! Isso é apenas uma viagem minha.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Desculpe o transtorno - Parte I

Não há reforma sem problemas. Sem muitos problemas. Cem problemas. Hoje, por exemplo, os pedreiros vieram, não sei que horas porque saí bem cedo para o trabalho, mas quando cheguei em casa, por volta das 15h, já não estavam mais.
Cheguei neste horário porque os caras responsáveis pelas portas e janelas precisavam tirar algumas medidas e os pedreisos não atendiam o celular. Aí, saí do trabalho para ver o que estava acontecendo. O que estava acontecendo? Nada.
O que fizeram? Preencheram com cimento 2,5 metros quadrados. Apenas isso. Um dia inteiro perdido. Muito provavelmente, atraso na entrega final, uma vez que hoje foi um dia bem pouco produtivo.
Fico bem chateado porque não foi isso que combinei. Mas palavra mesmo só existe de um lado, pelo visto.
Amanhã, vou esperá-los para conversar.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Diário da Reforma - Parte II

Iniciamos, hoje, a segunda etapa da reforma. Depois de muita quebradeira, entulho, pó-poeira, copos quabrados, objetos perdidos, janelas retiradas, portas e portais demolidos e todo o caos que se possa imaginar, estamos (estamos não, estão) acertando as paredes com massa para na próxima etapa (isso se chama ansiedade) finalizarmos com os revestimentos.
Achei que nada seria pior do que a Parte I (A Demolição).  Enganei-me completamente. Morar dentro de uma obra não é tarefa para principiantes, nem para masters.
Não há etapa fácil de encarar. A gente sobrevive. Cada dia, uma experiência nova. Agora não há barulho (não, pelo menos, aquele da derrubada), os sons são outros, menos agressivos, menos ensurdecedores.
Uma lama tomou conta do que restava de habitável. Depois que os pedreios sairem, vou tentar colocar alguma ordem.
Por hoje, é isso.

10 anos de insistência

Dia 24 de janeiro, este blog completou 10 anos. Fico feliz por, ainda que com menor frequência, conseguir mantê-lo na ativa. Continuo es...