sábado, 28 de fevereiro de 2009

A beleza não é matemática, é química (texto)

(Deu no Globo.com) "Cirurgias desastrosas transformam famosos em monstros" e a partir daí alguns Antes-e-depois nos são mostrados como prova da transformação monstruosa, no entanto, me pareceu, o fato dos famosos serem vistos como monstros pelo ponto com é quase uma sentença sem saída da monstruosidade. Ou melhor, é como se não tivéssemos saída e devêssemos, então, vê-los feios, horrorosos, abomináveis etc.
Não é assim, ninguém se vê da forma como é visto, e mais, beleza não deve mesmo ter forma, padrão, encaixe. Quem disse que o fato de não se parecer com Brad Pitt ou Angelina Jolie (últimos exemplos de beleza masculina e feminina em quase todas as mídias) significa se ver feio? Significa ser feio? Quem disse que depois dos 50 não se tem mais saída? Beleza é mais do que ter vinte anos, muito mais do que corpos sarados e plásticos (não que não seja bonito, para alguns), vai além dos padrões pré-estabelecidos nas novelas globais das 20h/21h, dos telejornais, dos anúncios veiculados em quase todos os canais (abertos ou não). Ela não se explica e muito menos se aplica numa fórmula fechada, a beleza não é matemática, é química.

Ronaldo, Ronaldinho, Ronaldão (texto)

Que coisa chata essa imprensa o tempo todo ocupada com Ronaldo. É sempre a mesma história, se ele está transando com isso ou aquilo e/ou se já se separou da mulher, se pegou outro traveco, se não compareceu à concentração porque estava com garotas de programa, ou se estava com garotas de programa e por isso não compareceu à concentração. Parece que não tem nada mais para ser dito, vai ver não tem mesmo, e vai ver também que RoRoRonaldinho faz com que a gente abra o jornal, tecle na notícia, para diante daquela revista, fique imóvel ajeitando os ouvidos para a TV e rádio. Não aguento mais saber se o joelho direito ou se a ponta dupla dos seus cachos (e se ele tem a cabeça raspada?) estão em intenso tratamento, imagine saber a vida sexual do jogador de futebol: viramos, todos nós por extensão, vigias da genitália alheia. Cuidar da própria vida sexual já é uma complicação, já pensou se agora antes de mais nada preciso saber a quantas andam as trepadas do Fenômeno?

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Entre o México e os EUA (texto)

Hoje, sem querer, através da Globo.com, vi algumas fotografias da mexicana radicada nos Estados Unidos Maria Teresa Fernández que vem documentando, nos últimos 17 anos, a vida na fronteira entre o México e os Estados Unidos. Fazia tempo que eu não me sentia tão tocado diante de fotografias. Elas estão disponibilizadas no endereço abaixo. Todas elas mostram algum tipo de muro que separa os dois países e a forma como mexicanos dos dois lados dessa cerca se relacionam. São fotos tão impactantes e sensíveis que fiquei um pouco sem palavras ao vê-las. São retratados, dos dois lados, familiares que se (re)encontram. Maria Teresa descreve da seguinte maneira as suas fotografias: "A cerca muda o tempo todo. Cresce, se deteriora, é reconstruída, aumentada, retirada. Com minhas fotos, tento mostrar este organismo vivo e como ele afeta aqueles cuja realidade gira ao seu redor."
Vale à pena ver esse trabalho.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/02/090220_galeria_cercamexico_ba.shtml

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Depois dos 40 (texto)

Depois dos 40 fiquei mais impaciente em relação a alguns comportamentos, principalmente, àqueles que me reportam à adolencência. Sendo mais claro: faz algum tempo e talvez isso se deva aos meus relacionamentos (em todos os níveis, ou seja, não tenho amigos que se comportam como crianças porque não são crianças) não passo mais pela delicada situação de ter que me explicar porque alguém disse que eu disse alguma coisa. Não tem nada que me aborreça mais do que disse-me-disse, e mais, não tem nada que me irrite mais do que alguém atribuir a outra pessoa àquilo que gostaria de dizer e não tem coragem ou não é homem (adulto) suficiente para isso. Acho deprimente, acho sujo, acho que quem se comporta dessa maneira merece o desprezo.
Sempre acho que a idade não importa muito, mas tenho acumulado decepções.
Não diga que não disse alguma coisa que tenha falado e nem que eu tenha dito algo que realmente eu não tenha dito porque vc estará correndo um grande risco de não mais falar nada para mim.

Força Estranha (música)


"E a coisa mais certa de todas as coisas não vale um caminho sob o sol."
(Força estranha - Caetano)

Rain Man (texto)

Quanto tempo não chove em sua rua, bairro, cidade, estado, país, continente? Se mais de 3 dias, me contrate, sou o homem-chuva. Por onde eu passo cai toda a água do céu. Não sei se fiquei devendo alguma coisa à Iemanjá, a Oxum, a Obá, a Logunedé, a São Pedro, à Inaê, à Janaína, mas sei que faço chover. Estive em três estados e em quatro cidades nesses dois últimos meses e bingo: choveu por onde passei. No Rio de Janeiro, chuva; em Santa Catarina - Florianópolis - chuva; em Curitiba (tb não seria novidade), chuva e agora de volta a Cascavel mais chuva. Por favor...

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

C’EST FINI (texto)

Na verdade ainda não acabou o carnaval, o horário oficial é meia noite de terça-feira, mas o clima chuvoso não deixa dúvida de que o feriado de carnaval acabou mesmo. Entre mortos e feridos salvaram-se quase todos! Não se pode reclamar depois de um domingo cheio de sol, de reencontros com velhos amigos, de sombra e água fresca (claro que tudo tem um preço e por aqui é bem caro) de uma terça-feira chuvosa e cinzenta. Pior seria ficar em casa curtindo o carnaval sozinho diante da TV. Não, acho que essa comparação foi muito forçosa. Pior seria se tivesse chovido todos os dias...pronto redenção total.
O saldo, e não o salto, é positivo e operante. Agora é pensar na aula de segunda-feira.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Ida Gomes (texto)

Triste surpresa saber que a atriz Ida Gomes foi enterrada nesta segunda-feira. A lembrança mais antiga que tenho dela é em "O Bem Amado", eu era bem pequeno, mas como muitos capítulos da novela foram gravados em Sepetiba, bairro do Rio em que meus avós moravam, eu me divertia e acompanhava de perto "Dorotéia", uma das "Irmãs Cajazeiras". Vi ainda alguns filmes, lembro-me agora de "Copacabana" e, em 2003, da peça "Tio Vânia". Não sei ao certo quantos anos de carreira tinha, mas de qualquer forma, atuou ativamente na TV, no cinema e no teatro, além de ser a dubladora oficial de Bette Davis. Fica então essa notinha como forma de homenagem e de lembrança dessa grande atriz nascida na Polônia, criada na França até os 13 anos e brasileira de algumas décadas.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

A minha alegria atravessou o mar (texto)

Hoje foi um dia especial, (re)encontrei amigos de longas datas. Muito bom ver que as pessoas estão bem e ainda acreditando no carnaval como forma de confraternizar. Esta festa na Ilha foi a oportunidade de encontros especiais: novos amigos, velhos amigos, novos-velhos amigos. Um dia cheio de sol, de mar tranquilo, de música, de caipirinha, de riso frouxo.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Blá Blá Blá (texto)

Chegamos à Ilha por volta das 15h. Um sol intenso na estrada. O trânsito tb intenso, mas sem congestionamento. Foram 4h de muita conversa. Gosto de ouvir quem tem o que dizer. A conversar é um dos melhores passatempos e por que não dizer prazeres. Falar muito nunca é sinônimo de falar qualquer coisa quando se encontra alguém que observa o cotidiano, que se observa o tempo todo e consegue, o mais complicado, transformar o visto em palavras.
É claro que poucas pessoas têm essa capacidade, mas eu, homem de sorte, conheço muitas delas.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Entre o eu "auto-afirmação" e o "arrogante" (texto)

Hoje, no almoço com alguns amigos, lembramos de casos de pessoas que adoram a primeira pessoa do singular como o tema central de qualquer conversa: "eu posso, eu faço, eu consigo, eu trabalho, eu vou, eu fiz, o meu é assim, o meu é assado, o meu faz mais sucesso, eu sou reconhecido etc. etc. etc." Cada um de nós teve um caso para relatar: desde a amiga de uma amiga que não se conformava com o sucesso alheio, ou seja, que não fosse seu próprio sucesso, a ponto de chegar para uma visita e, antes mesmo de cumprimentar a dona da casa, perguntou se o apartamento tinha sido comprado à vista ou financiado, até um conhecido meu que, dia desses, num telefonema eu consegui contar 30 usos do "eu" numa conversa de 10 minutos por telefone.
É interessante notar, se é que existe fato interessante num situação dessas, é que o outro (aquele que usa o "eu" o tempo todo) não consegue ouvir nada que não seja a sua própria história, seu próprio umbigo e quer o tempo todo o centro do picadeiro. Carência, insegurança, auto-afirmação, narcisismo, arrogância ou seja lá o que for só produz efeito se tem plateia. Por isso, acredito, temos uma parcela grande de culpa quando contribuímos com esses comportamentos. Dar atenção para uma criatura como essa é mesmo alimentar a fome do outro.
É um desvio sério de comportamento: um gato que se vê leão, e pior, um gato que quer ser visto como leão. Da mesma proporção, acredito, considerando às diferenças, o magro que se vê gordo, o bonito que se vê feio, o mentiroso compulsivo e por aí vai.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Mas também há dias... (texto)

Da mesma forma como as coisas boas passam, passam tb as ruins. E hoje já é outro dia. Dia desses uma grande amiga me falou daquele presentinho chinês, aquele pedacinho de papel dobrado com a seguinte frase escrita: "Isso também vai passar." e que a gente deve abrir ou quando estiver muito triste ou alegre demais.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Há dias que (texto)

Hoje o dia foi bem ruim. Faz tempo não me sinto dessa forma: desanimado, sem ânimo para nada, vontade de nem ter saído da cama, nada me agrada, nem música consegui ouvir. Desses dias que a gente tem vontade de pular e acordar no dia seguinte pra ver se faz mais sentido estar por aqui (aqui é igual a qualquer lugar). Mas nem isso é possível porque apesar da gente estar se sentindo esquisito o mundo continua rodando da mesma forma.
Nem posso dizer que a chuva tem alguma culpa, o mal tempo, o céu nublado, as ruas molhadas. Já vi dias bem piores. Estou com uma sensação de nada feito. Talvez se eu pudesse falar com alguém sobre isso...se eu conseguisse me concentrar num filme...se eu tivesse vontade de TV...mas nada está onde devia agora.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

As pernas curtas da Mentira ou Verdades que se tornam mentiras por associação (texto)

Longe de mim querer ser o guardião da moralidade, longe nem seria o advérbio mais adequado porque se sou moralista sou tb equivocado. Sei que mentira compulsiva é doença. Convivi alguns anos com um grande amigo (e o fato dele ser mentiroso não afetava a nossa relação) que mentia de formas diversas e sobre tudo: da doença terminal de sua mãe ao salário que ganhava numa multinacional que acabara de contratá-lo como assessor de imprensa; do assalto que sofrera dentro de sua Ferrari à comida contaminada no Celeiro; do namoro com um global à viagem à Grécia. E por aí ela ia contando para si mesmo (porque ninguém mais acreditava em suas histórias) essas suas façanhas. Quanto eu estava de bom humor eu ouvia atenciosamente, quando meu humor não era dos melhores eu simplesmente ouvia o que ele falava.
Hoje, ao ler na Revista Época que a brasileira, aquela que se disse atacada por neonazistas na Suíça, tinha um passado que a condenava em relação às mentiras que contava aos amigos do trabalho, me lembrei desse cara, e me lembrei tb que quando ele sabia que nós sabíamos de suas mentiras ele mentia novamente nos dizendo que estava em tratamento para deixar de mentir. Outra mentira para justificar as mentiras anteriores. Ele nunca se tratou. E era de tal forma doente que acreditava mesmo naquilo que dizia e isso fazia, às vezes, com que fosse mesmo convincente. Ele se meteu em vários problemas por conta disso, um dos mais comuns era se esquecer do que havia inventado e ter que se explicar quando era surpreendido. Passava grandes vergonhas e ainda assim, por ser doente, não se conscientizava do que acontecia.
O fato da brasileira ter mentido aos amigos sobre a morte de um ex-marido num acidente de avião ou a mentira sobre a sua gravidez não significa que ela não tenha sido atacada por neonazistas, mas põe em dúvida qualquer outra história que ela venha a contar.
Casos como esse, o do meu amigo, seriam necessários alguns encontros com um psicanalista para que eles pudessem encontrar a origem desse comportamento, mas para isso, seria necessário que ele estivesse disposto a se tratar. Ele nunca se meteu em problemas como este da brasileira que envolvera até o presidente da república, o ministro das relações exteriores, jornalistas e todos nós, de alguma forma, mas se tivesse oportunidade, não duvido de que faria alguma coisa semelhante.

Volta às aulas (texto)

Hoje as aulas recomeçaram. Sempre, todos os anos (não me lembro de um que tivesse sido de outra forma), o primeiro dia é muito estressante pra mim. Começo a não dormir direito no meio da semana anterior só de pensar que estarei diante de uma turma desconhecida, muita gente quieta me olhando e eu sendo o que deve falar. Em geral é isso que mais me incomoda, a falta de intimidade com os novos alunos e a obrigação, portanto, de ter que falar praticamente sozinho. O resto é rotina, apresentação do plano de aula e um pouco sobre o disciplina. Pouco se faz nesse primeiro dia além de saber o nome dos calouros e o que eles esperam do curso.
Além disso, ter que controlar os veteranos para não permitir que invadam a sua sala para os trotes. É uma tarefa quase impossível explicar que a decisão não é sua, que a universidade é que decide pela proibição das tintas, dos cortes de cabelo, das amarrações etc. dentro dos limites do campus.
Na verdade é uma tarefa em vão porque os veteranos sempre acabam encontrando os calouros e colocando em prática tudo aquilo que eles vinham planejando desde que entraram na universidade e foram as vítimas da vez. É um ciclo que não acaba porque a cada ano eles querem se vingar do trote do ano anterior. Todas as sugestões de trotes culturais tb são em vão porque "não foi desse jeito que fizeram com a gente", eles argumentam. O bom de tudo isso é que o primeiro dia de aula sempre acaba e aí entramos na rotina das aulas semanais.
As férias acabaram!
Ps.: O trote cultural é aquele em que os veteranos organizam, além de comes&bebes, apresentação de música, teatro, poesia, do CA, dos professores, da coordenação do curso, do funcionamento da universidade, dos direitos e deveres do acadêmico e por aí vai.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Chávez e as reeleições (texto)

A Venezuela vai às urnas hoje para decidir se amplia ou não a possibilidade de reeleição por tempo ilimitado. O Governo afirma que votar pelo "sim" é votar a favor dos direitos do povo, (venezuelano e venezuelana) é tornar possível que qualquer um possa, por voto direto, se reeleger ad aeternum. A oposição, por sua vez, diz que votar sim é votar na ampliação dos direitos de reeleição de um venezuelano: Hugo Rafael Chávez Frias. E tem investido na campanha pelo "não" apostando no fato do voto ser secreto e à prova de fraude.
Caso seja aprovada a ementa, Chávez poderá concorrer em 2012, quando estará a quase 14 anos como presidente do país. As pesquisas de opinião dão vantagem ao "sim".
Interesses à parte, além é claro de outras questões, tais como educação, por exemplo, quem decide quem fica ou quem sai são os votos. O fato de ser possível a reeleição não deveria querer dizer que Chávez, Lula, FHC ou quem quer que seja, se perpetue na presidência de um país, no senado, na câmara etc.. O que definiria a permanência ou não seriam as suas propostas, as suas políticas o seu governo anterior.
E poor falar em permanência no poder, quem é mesmo o presidente do Senado?

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Neonazistas, automutilação, gravidez, autoridades brasileiras, policiais suíços (texto)

A indiferença da polícia suíça à brasileira atacada por neonazistas em Zurique se deu por conta de possíveis dúvidas quanto à veracidade da história contada pela advogada. O fato de não ter sido detectado em dois exames a gravidez declarada pela moça reforça ainda mais a desconfiança de sua versão dos fatos. O pai da advogada criticou a polícia e a acusou de tentar transformar a vítima em réu. A cônsul brasileira Vitória Clever admitiu ter se surpreendido com o resultado dos exames, no entanto afirmou que a brasileira é bastante firme em seu relato e em nenhum momento pareceu estar inventando o ocorrido. Ressaltou, ainda, que a investigação não está concluída e que prefere esperar por sua conclusão.
Autoridades suíças acreditam que os ferimentos tenham sido provocados pela própria brasileira por conta da simetria dos cortes e pelo fato de se encontrarem em áreas do corpo ao alcance das mãos de Paula, mas afirmaram não ter 100% de certeza nessa crença.
Outros casos semelhantes já ocorreram na Suíça e na Alemanha, casos de automutilação com queixas de ataques neonazistas.

Horário de verão - notícia - lembrete

O horário de verão termina hoje nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Goiáis, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal . À meia-noite atrase os relógios uma hora.

Ainda 2010 (texto)

A Ministra da Casa Civil Dilma Rousseff apesar de negar ser candidata à presidência, já é candidata à presidência da república pelo PT. O PSDB tem uma candidatura quase oficiosa de José Serra, no entanto o Governador de Minas Gerais, Aécio Neves, tb quer participar da subida ao Planalto. E o partido parece mesmo partido entre Serra e Aécio.
Dilma começa a subir nas intenções de votos no nordeste, está se tornando conhecida. Está nas colunas sociais, em todas as viagens do presidente (em 2007 foram 28 viagens, já em 2009, foram 61), na TV, nos jornais. Enquanto isso o PSDB marca passo. Uma campanha partida, esta que se anuncia entre Serra e Aécio, nunca é produtiva. O que se espera do PSDB é aquele mesmo discurso com que Serra venceu a Marta em 2004: dar prosseguimento ao que o atual governo tem feito de bom, corrigir os erros deste governo e fazer o que Lula não tem feito.
E a questão chave é: Por que o Brasil governado pelo PSDB será melhor do que o governado pelo PT?

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Pai aos 13 - Notícia - Mundo

(Deu na Globo.com) Inglês de 13 anos (mas com cara de 7) acaba de ser pai. Sua namorada, Chatelle de 15 anos, deu à luz a uma menina, publicou o jornal The Sun nesta sexta-feira 13. Os pais dos recém-pais não se mostraram muito tranquilos com a notícia. O pai de Alfie, o menino-pai, disse ao jornal que o filho ainda não tinha muita noção do que estava acontecendo; a mãe de Chatelle disse que eles já tinham 5 filhos e a chegada de mais um não será nada fácil.
A gravidez na adolescência é um tema bastante recorrente, e por que não dizer comum? No entanto pouco ou muito pouco se tem conseguido com as estratégias de conscientização.
Uma curisosidade: fui buscar no Google uma imagem sobre "gravidez na adolescência" e eis que encontro apenas fotografias e figuras de meninas grávidas. O nosso imaginário ainda é o de que a responsabilidade é apenas das meninas, como se o menino fosse apenas um personagem secundário nesse processo.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Neonazistas brasileiros (texto)

Por aqui também existem neonazistas, eles se concentram em São Paulo (quero dizer, as agressões das quais ouvimos falar ocorrem) por lá). Aqui, eles adoram os estrangeiros, eles têm orgamos múltiplos quando encontram grupos de americanos passeando pela Avenida Paulista. Eles odeiam de verdade os nordestinos, os negros e os homossexuais. E sempre que podem espancam, matam, torturam os que cruzam seus caminhos. Justificam o ódio que sentem porque consideram os nordestinos raça inferior assim como os negros, os homossexuais são doentes e merecem, portanto, apanhar. Neonazistas brasileiros seriam picadinhos na Suíça.

Neonazistas (texto)

Mulher é agredida na Suiça por possíveis neonazistas. Seu corpo foi navalhado, mais de cem cortes. Por cerca de 5 minutos, pelo menos, ela levou chutes e socos de três homens (a sua gravidez foi interrompida por conta da violência). Como se não fosse suficiente, policiais e jornalistas põem em dúvida a agressão sofrida pela brasileira. As marcas em seu corpo, pelo visto, não são provas determinantes da barbárie. Grupos neonazistas manifestam dessa forma o ódio que sentem por estrangeiros, alegando que a sua presença em seus países aumenta a criminalidade, a violência, piora o serviço de saúde e diminue as oportunidades de trabalho para os nativos. Ficamos todos, por aqui, chocados com as fotografias veiculadas na TV do corpo da moça grávida de 3 meses com marcas do estilete. A presença de estrangeiros aumenta a violência e a criminalidade, cortar o corpo de alguém é só uma forma de manifestar a insatisfação.
A Suíça tem um passado que a condena em relação aos nazistas. O Brasil um presente condenável de submissão em relação ao que se faz com os brasileiros em diversos países.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Reforma Ortográfica - dica

Veja o site e tire as suas dúvidas. Você digita e o site mostra como ficou depois da reforma.
http://ramonpage.com/ortografa/

Parece que 2010 já chegou (texto)


O PT já está em Campanha. Lula cita até o baton da Dilma Rouseff (a mãe do PAC). O que não pode é deixar de falar nEla. O PSDB deve partir para a luta e mostrar que também pode governar. E eu achando que ainda era fevereiro de 2009. Que nada!

Trote (texto)

Sempre a mesma história, início de ano letivo, a TV e os jornais noticiam: calouro é igual a retibuição do trote vivido no ano anterior. Em geral tudo é bastante tranquilo: o calouro aceita a brincadeira: tinta, cabeça raspada, dinheiro para festa etc,. ainda que sejam proibidos qualquer desses tipos de manifestação na universidade. A mídia busca o exótico, enfatisa exatamente o que viola a regra (é essa uma de suas funções). Este ano mais um caso de agressão. Calouro chicotado (como assim???!!!), internado em coma alcoólico, excrementos, pais assustados, notícia na TV e nos jornais. O seu estado era de tal forma crítico que ele foi considerado indigente pelo hospital.
Há sempre alternativas, mas elas, me parece, não fazem o mesmo efeito entre os jovens, de uma forma geral. Em Rondon, no curso de Letras, faz alguns anos, optamos pelo trote cultural: os professores se apresentam, os alunos cantam, tocam, contam piadas, alguns trazem comida e bebida e passamos as primeiras horas do primeiro dia de aula recebendo assim quem chega. Qualquer outro tipo de brincadeira não é permitido no campus. O Diretor é categórico, os professores cumprem o determinado, os funcionários estão atentos. Claro que há furo nessa organização, mas ele acontece longe das salas de aula e dos colegiados.
Em Cascavel, assim como em todos os campi, o trote tb é proibido. Estamos todos sob o que determina o Código de Ética e responderemos se não o respeitarmos. Por que não receber quem chega de uma maneira menos agressiva, assim como a gente faz com as visitas que esperamos ansiosos por sua chegada? Sou dessa opinião, não gostaria de ter a minha roupa pintada e não acho graça nenhuma em fazer coisas sem a minha vontade apenas para agradar aos demais. Sabemos que muitos acabam participando para não sofrerem retaliações futuras.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Um pergunta para qualquer tempo (texto)

Como é que alguém consegue assistir a uma novela do horário nobre da TV Globo, sobretudo se essa novela é escrita por Glória Peres? A mocinha que sofre ou porque é rejeitada ou porque a família não aceita o seu namorado, a amiga que é falsa, o bad boy que apronta e tem o apoio dos pais, tudo isso com gente fantasiada de sei lá o quê, com um sotaque hororroso e usando um vocabulário de dá dó. Meus deus, devemos estar mesmo caminhando, não para às Índias, mas para o fim do mundo.

ACM Neto, o novo candidado do DEM - Notícia

(Deu no Blog da Cristina Lôbo) ACM Neto é o novo candidado do DEM para a 2 vice-precisência da Casa. Não conheço o ACM Neto além do que leio nos jornais e vejo na TV, no entanto, tenho um pé atrás. Eu o acho mauricinho demais, e, além disso sua genética não é das melhores. Lembro-me de muitos episódios sórdidos envolvendo o avô e aí fica complicado não achar que filho (neto) de peixe pode ser outra coisa senão peixe.

De frente para o sol - Livro

Ganhei* de aniversário o Livro "De frente para o sol" do escritor Irvin D. Yalom, o mesmo autor de "Quando Nietzsche chorou" e "A cura de Schopenhauer", entre outros. Este livro foi publicado pela Editora Agir e tem 222 páginas. O autor trata, principalmente, da superação da morte. No entanto, para falar da morte, ele trata de temas que estão interligados: medo, perdas, velhice, doenças entre tantos outros assuntos. Queria poder transcrever aqui algumas passagens muito interessantes, mas o espaço é pequeno e, por opção, resolvi postar textos curtos para facilitar e agilizar a leitura. De qualquer forma, tem uma passagem que acabei de ler e que, acho, merece destaque, por isso, vou trancrevê-la: "Nenhuma mudança positiva pode acontecer na vida enquanto voce se agarra ao pensamento de que o motivo para não viver bem está fora de você. Enquanto responsabilizar inteiramente os outros, que o tratam injustamente - um marido grosseiro, um chefe exigente e pouco encorajador, maus genes, complusões irresistíveis -, sua situaçãovai estar em um impasse. Você e apenas você é reesponsável pelos aspectos cruciais da sua situação na vida, e apenas você tem o poder de mudá-los. Mesmo que enfrente obstáculos externos opressores, você ainda vai ter a liberdade e a opção de assumir diferentes atitudes perante eles."(p.85).

*presente de Nanci Garden

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Teste vocacional (faça com seu filho!)

Quando você chamar uma criança e ela te ignorar completamente, por mais que você acene, grite, esperneie ou faça qualquer sinal...quando ela crescer, vai ser garçon.

"Perseguição política e discriminação" - Notícia

(Deu n'O Globo online) O Deputado, Ex-Corregedor e Ex-Segundo Vice-Presidente da Casa Edmar Moreira entrou hoje, 09.02, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com pedido de desfiliação do DEM (não antes de correr o risco de ser expluso pelo Partido Democrata) alegando (para variar, o chavão de políticos que se comportam como ele) "perseguição política e discriminação" (estratégia para não perder o mandado, já que o TSE, caso o solicitante seja "discrimidado", pode garantir que o mandato pertença ao candidato e não ao partido).
A minha indignação (e eu fico indignado mesmo) é com a nossa falta de vergonha na cara na hora de escolher os homens que vão nos representar: a história é sempre a mesma, muda apenas (e quando muda) o personagem principal.
Temos que concordar com o que Machado de Assis escreveu em 06 de janeiro de 1895: "Quem pode impedir que o povo queira ser mal governado? É um direito anterior e superior a todas as leis."

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Malha fina do preconceito - Notícia

(Deu n'O Globo e na Folha de São Paulo) Pesquisa sobre homofobia, que ouviu 2.014 brasileiros em 150 cidades, fez o retrato do preconceito em três dimensões: o assumido, o disfarçardo e o "dos outros". Entre os assumidos, os preconceitusos, cerca 16%, chegaram a admitir que consideram os homossexuais "doentes", "safados" e "sem caráter". O que mais chama a atenção na pesquisa é a quantidade de brasileiros que admitiu ter preconceito.
Apenas 1% dos jovens acima de 16 anos não têm preconceito contra os homossexuais. Os demais até disfarçam, mas caíram na malha fina da pesquisa nacional realizada pela Fundação Perseu Abramo.
O Governo Federal usará o levantamento para colocar em prática novas políticas, e alerta que já detectou um desdobramento sombrio de tanto preconceito: a intolerância. A cada três dias de 2008, ocorreu um crime de ódio por orientação sexual no país.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Música

A onda ainda quebra na praia,
espumas se misturam com o vento,
No dia em que você foi embora, eu fiquei
sentindo saudades do que não foi
lembrando até do que não vivi
pensando em nós dois
(O último pôr do sol - Lenine/Lula Queroga)

Sem moto (texto)


Estou a pé, para variar. Cheguei de viagem e a moto nada de engatar a primeira. Um saco! Até que tentei e ela deu uma piscada de olhos, apenas para sinalizar vida, Deu uma voltinha comigo e parou de vez. Aí hoje pela manhã resolvi hospitalizá-la, melhor assim...não adiantava uma aspirina porque o problema podia ser maior, mais grave. Fico sem ela até segunda-feira...e aí ando, né? Exercícios da 3 idade.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

O castelo no nome do filho?! Ah, Assim pode! - notícia

(Deu na Folha) A repórter Fernanda Odilla, informou na Folha, anteontem, que o deputado Edmar Moreira (DEM-MG) tem um castelo com 36 suítes e torre de oito andares (como assim?). Moreira é o novo segundo vice-presidente da Câmara, cargo que vem embrulhado com a Corregedoria. Teoricamente, corregedor é aquele sujeito acima de quaisquer suspeitas, mas vejamos...seu patrimônio declarado em 2006 era de (pasmem!) R$9 milhões, mas o castelo, só o castelo está à venda por 25 milhões (não sei se Reias ou Dólares, o que não importa muito diante da sua declaração ao fisco). O deputado explicou que o imóvel está no nome dos filhos. Como? Ah, bem está no nome dos filhos. Agora sim, tudo explicado. Ufa!!!

Sarney nao pode levantar os braços - notícia


(Deu na Folha) Segundo José Simão, o presidente do senado José Sarney não pode levantar os braços. "Se levantar, Deus puxa ele!"

Senado italiano aprova projeto anti-imigração - notícia - mundo

(Deu na Folha) O governo do premiê Silvio Berlusconi aprovou no Senado iatliano projeto de lei que altera lei sobre imigração. O projeto permite que médicos delatem à Justiça pacientes estrangeiros em situação irregular. Além desse projeto, os senadores aprovaram tb um outro que prevê "rondas" de cidadãos para patrulhar as ruas. Mas para os projetos virarem lei, as medidas têm de ser aprovadas na Câmara (é bom lembrar que na Câmara o premiê tem maioria).

Violência em Cascavel - Notícia - Cidade


(Deu na Gazeta do Paraná) Segundo o jornal, a violência é um dos problemas que mais preocupam a população de Cascavel, em janeiro foram 18 óbitos (5 deles vítimas do trânsito). Mas o que me impressiona é o tratamento que se dá aos crimes (todos resolvidos ou em vias de). Eles são estatísticas (não que isso não seja importante), mas não se resolve a criminalidade em uma cidade apenas com os números . Veja o caso do Rio de Janeiro (sem qualquer comparação), por exemplo, por muito tempo o crime era tratado da mesma forma, agora ele está sem controle. Em todos os sentidos, mesmo estatisticamente.
Acho a cidade tranquila (talvez porque eu tenha outra como parâmetro). Não tenho medo de andar nas ruas, não penso que posso ser assaltado numa esquina dessas. Mesmo. Mas é claro que sei que para que a violência aconteça basta estar por aí. A violência, seja ela qual for, é motivada. E essa motivação é que deve ser buscada (nao apenas estatisticamente) e solucinada. Não penso que problemas sociais são resolvidos numa soma tão simples: solução = motivo + violência. É claro que não é dessa forma, no entanto, não tratá-los (de frente, com coragem, determinação etc.) só agrava a situação. Um dia (que esteja bem longe) seremos tb uma cidade de grande porte com problemas tb de grande porte.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Nem fantasmas na minha ausênsia (texto)

São 7h44min do dia o5 de fevereiro de 2009. Acabei de chegar em casa. Depois de mês e dez dias fora encontro a casa exatamente como a deixei. Como é estranha a sensação de voltar e encontrar tudo, exatamente tudo no mesmo lugar: livros, copos, cd´s, até a garrafa de água nem cheia nem vazia. Nem fantasmas passaram por aqui na minha ausênsia.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Quando se perde um amigo ( texto)

Hoje, soube, assim que abri o meu e-mail, que uma grande amiga morreu. Fiquei durante todos esses dias pensando o que significa, além da tristeza, perder um amigo. Perdi a Rô e perdi a oportunidade de estar com ela pelos meus próximos anos. Perdi tb uma parte importante da minha alegria porque amizade é esse lado da vida. Perder um amigo é a certeza da nossa morte tb. Assim, temos a real certeza de que tb somos mortais. Fazia algum tempo que não nos víamos, eu no interior do Paraná, ela em Niteroi. Na semana passada, nos falamos por telefone. Ela não me pareceu tão fraca e nem pareceu que nos despedíamos, que não nos falaríamos mais. Mas a vida é dessa forma, enquanto pensamos em outras coisas ela acaba. Tô bem triste.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Fatal (filme)

Com Penélope Cruz e Ben Kingsley. Ela jovem, ele um homem maduro. Apaixonam-se e vivem uma história de amor triste. Os dois atores encontram um tom exato de seus personagens. Longe da banalização da relação homem e mulher tão comum nos seriados e filmes. Vi, gostei muito e vejo outra vez.

Quase em casa (texto)

Hoje em Curitiba dia chuvoso e quente. Amanhã último dia antes de Cascavel. Acho que já estou com saudades de minha casa em Cvel. Viajar é bom, mas gosto tb de ficar sem essa movimentação de avião, ônibus, meio acampado, meio sem ter um lugar meu para ficar. Gosto muito de estar em casa, a intimidade com as minhas coisas: meus livros, meus discos e nada mais. Além disso, tanta coisa me espera: plano de ensino, as aulas que recomeçam no dia 16.02, a seleção dos primeiros texto, enfim, o trabalho. E os amigos que encontro sempre que volto.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Ainda Crise entre Brasil x Itália - Notícia

(Deu n'O Globo) Continua reverberando a polêmica propaganda de grife italiana que mostra supostos policias cariocas abordando modelos. Agora, além do prefeito do Balneá-Rio, autoridades italianas também estão indignadas com a veiculação.

Perdi o voo (texto)

Perdi o voo. Acordei bem cedo e achei que podia dormir mais um pouquinho. Acordei quando devia estar voando. Eu devia ter chegado em Curitiba às 11h50, cheguei às 19h. Um pouco depois da hora prevista. Pior é passar o dia inteiro no Galeão sem ter o que fazer. Se eu pelo menos tivesse cabelo podia ter cortado, já matava uns 30min, mas nem isso. Ser careca, nessas horas, é fogo! E o sono que não passava...fiquei com medo de perder o voo transferido. Não perdi. Tô podre.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Praia de Botafogo (fotografia)

Ir embora (texto)

A pior parte de ir embora é ter que me despedir dos amigos. Acho tão triste ter que dizer "tô indo" ou "quando voltar nos falamos", ou ainda, "me escreve"...queria não precisar ir ...mas queria tb ter trabalho por aqui, um que não me obrigasse a enfrentar condução por mais de hora e meia e que eu me sustentasse. Cada vez mais complicado. Deixar os amigos nunca é fácil, talvez, por isso, eu escolha ir assim de mansinho.

Mais uma do Eduardo (texto)

(deu n'O Globo) O prefeito do balneá-Rio, Eduardo Paes, está preocupado com a imagem do Rio (como assim?!). Segundo o jornal, uma propaganda, na Itália, que retrata PMs do Rio estaria, de alguma forma, denegrindo a imagem da cidade. A propaganda italiana mostra mulheres sendo abordadas de forma abusiva por homens com fardas semelhantes à da Polícia Militar. Só uma perguntinha, pode piorar a imagem da cidade? Como?

Cidade sem investimentos (texto)

(Deu n'O Globo de domingo - primeira página) Poder de investir em obras e projetos caiu 77% no Rio e mais uma vez a equipe do atual prefeito culpa era César Maia. Não duvido de que a cidade esteja num caos absoluto, dando os últimos suspiros, implorando por cuidados. Da saúde à educação, da segurança à limpeza, tudo, até a alegria de ser carioca está precisando de reparos. O Centro da Cidade está jogado fora: lixo por toda parte, mato na Av. Chile, mendigos morando em todos os pontos, flanelinhas na Lapa (ao lado de carro de policiais), cheiro de fezes e mijo nas ruas principais (imagine nas outras!), ruas esburacadas, prédios caindo aos pedaços, falta de iluminação, total abandono. Tá bom, a Culpa é do Fidel e agora? Continuamos até quando suportando essa gente que entra para administrar (Governadores e Prefeitos e a cambada que os acompanha) e não faz na-da?

Fazendo a mala (texto)

Hoje é meu último dia no Rio. Daqui a pouco começo a juntar minhas coisas para a viagem amanhã cedo. Antes de Cascavel passo por Curitiba para uns exames (de rotina). Aproveito para ver alguns amigos e tb entrar no clima do trabalho que me espera na universidade. Acho que esse ano vai ser hard-punk, mas a experiência do ano anterior ajuda muito. Um pouco cansado de tanta coisa que fiz aqui no balneá-Rio, mas já com saudade do meu apartamento, das minhas coisas, dessa rotina de acordar tarde, ler jornal e inventar alguma programação (somente diversão nos últimos dias). Bem, as férias acabaram e as obrigações me chamam.