segunda-feira, 11 de maio de 2009

Sou funcionário público e posso tudo porque não tenho chefe mesmo!!! (texto)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, minimizou nesta segunda-feira, 11, dados de levantamento publicado ontem pelo jornal O Estado de S. Paulo que mostram que, das 24 vezes em que a Corte se reuniu em sessão plenária este ano, em apenas seis oportunidades todos os 11 ministros estavam presentes. De acordo com o site do STF, Mendes disse que a falta a sessões não significa que os ministros deixaram de trabalhar. "É um trabalho que se faz diuturnamente, sábado, domingo e feriados, nas turmas e também nos gabinetes e em casa. Então, não podemos medir a atividade do Tribunal apenas pela presença nas sessões", avaliou.
Parece-me que esta prática é recorrente nas repartições públicas no país (Lá no STF e aqui). Ninguém se acha no dever de cumprir as suas obrigações: participar de reuniões (por mais chatas que sejam), chegar no horário (porque assim vc está respeitando o outro), ficar até o fim (porque não apenas o que te interessa é o mais importante naquele encontro); justificar as suas ausências; assumir as suas faltas.
Não é mais do que a obrigação de quaisquer funcionários. Numa empresa particular, no mínimo, o "funcionário" seria punido, mas o funcionário público SABE (por experiência), porque tem por prática enconbrir esses deslizes, que nada vai acontecer com ele. É mais fácil chamar quem levanta essas questões de "chato", mas, acredito, que pior do que ser chato é ser conhecido por incompetente. Vergonhoso!

3 comentários:

  1. Isso aí camarada Alexandre, dê-lhe pancada

    ResponderExcluir
  2. Ah Alexandre!
    Se vc soubesse o que eu passei hoje na CEF.
    Vc falou tudo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. mais triste é saber que qdo alguém investe num cargo publico, é justamente nesse lado da coisa que pensa...em ganhar sem fazer nada...também pensar diferente nesse país ja esta virando risco de vida....eca!

    ResponderExcluir