sábado, 31 de janeiro de 2009

Carnaval nos Arcos (vídeo)

video Um pequeno vídeo com imagens do Encontro de Blocos nos Arcos da Lapa.

Janeiro já tem carnaval (texto)




E eu que estava meio triste porque ia embora e não ia ver o bloco passar. Depois da praia, antes de chegar em casa, na Lapa, dou de cara com um encontro de blocos nos Arcos. Gente pra burro. Um momento para algumas fotos antes de tomar um banho bem gelado, trocar de roupa, colocar um chinelo novo e cair na folia.

Biscoito Globo, Amigos, Sol e Praia (texto)




Sábado especial, quase último dia no Rio e ganho uma manhã/tarde maravilhosas. Sol, Biscoito Globo, Elis e Vanise em Ipanema. Não dava nada pela praia. Achei até que o sol ia se esconder antes mesmo de chegarmos ao estacionamento Geó-Park . Que nada! Sol o dia inteiro. Papo bom! Diversão que valeu toda a chuva desses últimos dias. Nada de telefone tocando, água gelada, filtro solar. Não acredita? Então veja para acrer. Nem comida fria ou chopp quente, nem o trânsito congestionado tão comum nos sábados na cidade. Tudo no ponto. Só faltou um pouco de carnaval.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

O curioso caso de Benjamin Button - Livro

Lançado aqui no Brasil, na carona do filme, O curioso caso de Benjamin Button, conto do norte-americano F. Scott Fitzgerald, 119 páginas, pela Ediouro, em forma de quadrinhos. A história de um homem que "nasceu" com 70 anos e misteriosamente rejuvenesce, com o passar dos anos. Contendo o texto original de Fitzgerald, ilustrações em aquarela de Kevin Cornell e adaptado por Nuzio DeFilippis e Chistina Weir. Para ler e reler.

Nem para máscara de carnaval - Notícia - Rio

(Deu n' O Globo) O prefeito eleito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, não serve nem para máscara de carnaval. As máscaras com a sua cara encalharam na fábrica. Segundo a dona do negócio, "ele é muito certinho e isso, talvez, tenha contribuído para o fracasso". Choque de desordem na imagem do prefeito, urgentíssimo!!!

Bloco dos mijões - Notícia - Rio

(Deu n' O Globo) Na coluna do Anselmo Gois aparecem, quando o carvanal se aproxima, os mijões de plantão (homens que acompanham blocos por toda a cidade e, na falta de banheiros químicos, mijam por todos os lados). Não defendo os marmanjos não, mas, verdade seja dita, cerveja demais uma hora precisa ser posta pra fora. Onde? Tem bloco, mas banheiro que tb devia fazer parte da folia, não!

"Só que o molho é de tomate e vai acabar estragando" - Notícia - Rio

(Deu n'O Globo) Seria engraçado se não fosse verdade, dois homens armados fizeram arrastão (um tipo de assalto a grupos de pessoas) das 15 horas (de quarta-feira, dia 28) até às 7h de quinta na zona norte do Rio. Roubaram celulares, dinheiro, bolsas, roupas, bíblia, biscoito e uma marmita (cheia de comida): frango com quiabo e macarrão com molho de tomate. O mais incrível, 16h de assalto e nada de policiamento nas ruas da cidade. Vida boa essas dos assaltantes, fazem seu trabalho sem que ninguém os impeça. Choque de ordem tb na polícia militar do Estado!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

E-book - Notícia - Mundo


(Deu no O Globo) A Amazon, empresa americana, maior vendedora virtual de livros do planeta, anuncia uma revolução digital dos livros, o e-book, do tamanho de um livro pequeno, com menos de dois centímetros de espessura e capaz de armazenar mais de 200 obras ao mesmo tempo (a Amazon dispõe de mais de 225 mil obras digitalizadas). Além disso, o aparelho possui teclado, possibilitando que se façam anotações como num bloco, ou ainda que se marque uma das páginas.
Com o e-book da Amazon, o usuário pode comprar livros, jornais ou revistas nas principais cidades dos EUA, sem a necessidade de conexão com um computador, através de uma rede sem fio. O preço ainda é salgado, US$359, mas a longo prazo e apostando na concorrência, ele deverá diminuir.
O e-book, afirmam os simpatizantes, é politicamente correto: papeis e árvores serão poupados. Ainda sem previsão para chegar ao Brasil, o e-book só pode mesmo ser adquirido nos EUA. Esperar para ver.

Mangueira em Chamas - Notícia - Rio

(Deu no O Globo) A Mangueira vive dia de Gaza: ônibus queimados nos arredores do morro, em represália a uma operação da Polícia Civil. A ação deixou 4 mortos, inclusive o chefe do tráfico. Três pessoas ficaram feridas. Por sete horas o comércio ficou fechado e o trânsito congestionado.

O SOL (texto)

Finalmente ele apareceu! Depois de dias nublados, chuvas torrencias, chuvinhas e chuviscos, o sol dá o ar de sua graça no Rio de Janeiro. Fiquei quase 30 dias por aqui sem ir à praia. Sei que praia não tem qualquer relação com sol, ela continua lá, sempre e da mesma forma, mas gosto tb de aproveitar e ver gente, encontrar alguuns conhecidos, comer biscoito Globo, tomar mate com limão, e, com chuva, a praia fica quase um deserto. Sem o sol, é claro.
Acordei tarde, mas como não ia mesmo sair com esse sol escaldante, prefiro o fim de tarde...me resta apenas torcer para que ele se mantenha firme e forte até o horário ideal (mas a praia deve estar lotada!!!) para sair de casa. Seja benvindo! E já que chegou, fique por uns dias, afinal o Rio é ou não 40 graus?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Professora x Aluno - Notícias - O Mundo


Uma professora de inglês na República Tcheca fez um filme pornô com um aluno de 18 anos e provocou a ira dos pais do adolescente, que pediram sua demissão, segundo o jornal “Austrian Times”. Ela não foi demitida pela escola porque, segundo os diretores, o rapaz tem 18 anos e o filme foi produzido fora do embiente escolar. E se a moda pega? Pode sexo entre professor e aluno, ainda que eles tenham mais de 18 anos? Não conta a ética profissional ou longe da escola ela não vale?

Sexo com boneca - Notícias - O Mundo



Para os desavisados "Boneca" aqui não é sinônimo de travesti. Deu no "The Cairns Post": homem invadiu duas vezes um sex shop na cidade de Cairns, na Austrália, para fazer sexo com bonecas infláveis. Tesão não se discute. Mesmo. Um desejo incontrolado. Além do sexo (?) com as bonecas o sujeito roubou outras cinco. Melhor previnir, né não? O que me deixa mais intrigado é: como alguém tem tesão por isso?
Pensando bem, essa primeira aí tem um olhar sexy.

Recomeço - Virgínia Rodrigues - CD

CD mais recente da baiana Virgínia Rodrigues, apesar de cantar o amor em todas as faixas desse seu último trabalho, não me chegou como um trabalho coeso. Gosto de algumas interpretações, mas em geral ele, o CD, me pareceu monótono, sem brilho. Acompanho a cantora desde seu primeiro CD "Sol negro" (1997) e não acho que ela tenha crescido como intérprete durante esses anos. Gosto demais do repertório, mas ele me soa muito igual a tudo o que ela já fez.
Entendo o seu estilo, mas acho que o artista precisa recriar uma obra para justificar a sua entrada no repertório. "Beatriz" por exemplo na voz de Milton Nascimento não tinha o parâmetro de outras gravações (não quero dizer com isso que a interpretação dele não seja impecável. É.), por isso, por tê-lo ouvido interpretar, o que Virgínia faz com a música não me surpreende. Da mesma forma "Todo sentimento" (regravada centenas de vezes), mas eternizada, no meu ponto de vista, por Elizeth Cardoso. Ponto.

Gomorra - Filme


A crítica de O Globo aplaude de pé o filme e diz que "une tensão e secura em narrativa objetiva, quase documental". É um bom filme, mas nada além disso. Pra quem conhece a relação tensa e seca entre os morros cariocas e as suas consequências, não vê no filme nenhuma novidade: nem essa tensão. O filme é bem óbvio. Sabe-se o que vai acontecer quando crianças são envolvidas na criminalidade. Vi, gostei, mas não vejo outra vez. Pra quê?

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

MALLU MAGALHÃES - CD

Ela é bonitinha, engraçadinha, e o CD é bem cuidado, mas fiquei com a sensação, depois de ouvir duas vezes (olha que insisti!), que é vê o visto. Não me pegou. Falta voz, falta emoção. Lembram de Jordi (aquele anão-francês que cantava “Dur Dur D’Etre Un Bébe”, pois é...sem graça...mas ele era uma criancinha.

MILONGAS - CD


CD's de Tango eletrônico, grife Gotan Project ou Bajofondo: como eles mesmo dizem "energia humana e eletrônica a serviço do tango". Gravado em Buenos Aires e na Europa com muita qualidade. Os músicos Miguel Di Genova, Omar Massa, Diego Ramos e Manu Mayol dão um show de musicalidade. Para ouvir sem parar.

TOM JOBIM: SEM VOCÊ (Joyce e Toninho Horta) - CD

A Biscoito fino não surpreende. Já faz parte a qualidade de suas realizações. Este CD, tributo, se posso dizer assim, ao maestro Tom Jobim, é muito bom. A voz (em todas as canções) e o violão (nas faixas 4 e 12) de Joyce e o violão de Toninho Horta (em todas as faixas) e voz (nas faixas 4 e 11) são impecáveis. O repertório? Tom Jobim! Pra quê dizer mais? Destaque para as faixas: 1. Ela é carioca e 10. Sem você. Ah, tudo é muito bom, mas é que gosto muito dessas músicas. Ouça no volume 10!

Queime depois de ler - Filme

Um ex- agente da CIA, depois de despedido, resolve escrever um livro contando os segredos da corporação. O "boneco" cai na mão de dois funcionários de uma academia de ginástica e a confusão está armada. Atuações muito boas. Brad Pitt está excelente como instrutor da academia. Vejo mais uma vez. Gostei muito.

Rebobine, por favor - Filme

Um filme divertido, mas a mesma piada que se repete ao longo de 111 minutos. Vi, ri e pronto. Nada que vc não possa ver no youtube. Um mecânico que apaga acidentalmente todos os filmes de uma locadora e agora precisa refilmar, sem condições, todos os filmes.

Marley e eu - Filme


"Uma adaptação eficiente do livro", diz o bonequinho do O Globo (não li!, mas gostei do resultado). Normalmente filmes sobre cachorros são duros de roer. Este é divertido. Para quem tem ou teve um Labrador (ou para quem pensa em comprar um) é uma prévia do que pode acontecer. Fiquei aqui em casa (um ap. de quarto e sala no Centro do Rio) com um labrador por dois meses (estava aguardando as vacinas para levá-lo para os pais. Presente de grego, diriam uns.). Ele roeu TU-DO (inclusive a parede), mas é um cachorro especial (entendam como quiser). O filme é a história de um casal que adquire um labrador ou a história de um labrador que adquire uma família. Divertido, triste. não vejo outra vez, mas vi e gostei.

Café dos maestros - Filme


Para quem gosta de música é um excelente programa. Sensível documentário (Um Buena Vista portenho) sobre os grandes músicos da época de ouro do tango argentino. Produção EUA/Brasil/Inglaterra/Argentina.
Com Lágrima Ríos, Leopoldo Federico, entre outros. Lindo! Emocionante.

Linha de Passe - Filme

Filme de Walter Salles e Daniela Thomas: quatro irmãos, filhos de pai diferentes, criado pela mãe na periferia de São Paulo. Barra pesada! Não a periferia de SP mas o fato de uma mulher criar sozinha (fora das telas, situação bem comum) os filhos. Boas interpretações (o menino aí da foto dá um show), bom roteiro, direção perfeita. A atriz (desconhecida) Sandra Corveloni é mais do que excelente. Vale à pena rever! E eu vou!

Vicky Cristina Barcelona - Filme

A História de duas amigas (Scarlett Johansson e Rebecca Hall - Lindas!) que vão para Barcelona e conhecem um homem sedutor (Javier Bardem). É um filme de Woody Allen, e por isso, não é preciso dizer muita coisa. Eu adoro! Penélope Cruz dá um show (para variar). Além de linda é uma grande atriz. As suas cenas não têm para ninguém! Intercalando espanhol e inglês, surtada às vezes. Ma-ra-vi-lho-so! Eu vejo outra vez!

Crepúsculo - Filme

Historinha (vai ser assim, tudo no diminutivo mesmo) de adolescentes que se apaixonam, mas como todo filminho desse tipo, o amor entre eles é perigoso. O galã é de uma família de vampiros (do bem, é claro) e o amor entre os jovens significaria a morte da menina. Quer mais? Pra mim chega. Uma porcaria cheio de clichês adolescentes. Ninguém merece pagar para ver isso. Se acharem que estou exagerando, corram o risco e vejam. Não recomendo!!!

Rumba - Filme



Casal de professores de uma escola rural tem em comum a paixão por danças latinas. Um acidente de carro, depois de uma competição de dança, vai mudar a vida dos dois. Parece simples. E é. Um produção quase caseira. Os atores são os produdores, diretores e roteiristas do filme. Cores almodovianas. No entanto, o barato deste filme é "continuar apesar das dificuldades do dia a dia", e mais, conseguir rir de suas limitações e problemas. Um filme para o final da tarde de domingo. Vale à pena conferir.

Poucos dias no Rio... - Pensando bem... (texto)


Em poucos dias estarei no Paraná...as férias passaram rápido demais. Fiz muitas coisas: fui 6 vezes ao cinema na primeira semana, fiquei com a minha mãe por 15 dias, pintei o apartamento, viajei por 11 dias, reencontrei alguns amigos, quase fui alvejado por balas perdidas, comprei livros, voltei ao circuito cinema/exposição aqui no Rio e ainda tenho alguns dias pela frente. Rápido mas intenso.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O curioso caso de Benjamin Button - Filme

O filme "O curioso caso de Benjamin Button" baseado num conto de F. Scott Fitzgerald, conta a estranha história de um menino que nasceu velho e que aos poucos torna-se criança. Uma fábula sobre um tempo que corre de trás para frente. Enquanto o tempo passa, Benjamin vai ficando mais jovem...até virar um bebê.
Há quem acredite que dessa forma a vida seria perfeita. No entanto, como o próprio personagem diz, numa hora não adianta reclamar, quando chega a nossa vez, o melhor a fazer é aceitar.
É um belo filme.

Como você escolhe os seus amigos? - Pensando Bem...(texto)


Escolho os meus amigos por critérios quase objetivos: interesses comuns. Eles (os amigos) são muito parecidos: em geral, solidários. Gostam de falar, e sabem ouvir. O humor tb é fundamental, mas não qualquer humor. Não nos achamos engraçados, divertidos. Nos divertimos juntos, o que é bem diferente. Nào ficamos teorizando o dia a dia. Vivemos a nossa vida. Quase sempre distantes.

Eu presto muita atenção... (texto)


Em geral, sou desatento. Impaciente. Presto muito pouca atenção se me dizem como devo me comportar, me vestir, falar, rir etc e tal. Tenho pouca paciência tb com os que usam muito o pronome "eu" (porque eu sou, eu faço, eu vou, eu fiz, eu trabalho, eu estudo, eu posso, eu é que devo, eu é que consigo etc etc etc.). O que gosto mesmo é de observar algumas poucas pessoas falando de suas experiências quando vejo que elas, na prática, agem da forma como dizem. Tenho, portanto, poucos amigos que vivem assim. Nanci é uma dessas pessoas. Sempre tem algo interessante para me ensinar. Sua vida prática tem muito a ver com a sua teoria. Gosto de teorias práticas.

Envelheço na cidade (texto)


Não sei muito bem quais são as vantagens de ficar mais velho...alguns amigos me dizem que se vai ficando mais tranquilo (não me sinto mais tranquilo, me sinto mais cansado); outros dizem que se vai ficando mais sábio (não me sinto mais sábio, mas mais autocrítico); outros ainda dizem que se vai ficando mais seguro (nem preciso escrever nada sobre isso).
Não gosto muito do que estou me tornando. Ando impaciente (não quer dizer que um dia eu tenha tido paciência). Ando, quase sempre, com muita vontade de ficar sozinho. Parece que estou perdendo a afinidade com as pessoas. Se se repetem demais, aí nem um minuto de atenção. Sobretudo se se repetem de forma desisteressante. Aí me aconteceu algo inusitado...
Fiquei surpreso com um encontro que tive, numa festa de aniversário de uma amiga, com vários amigos da adolescência. Foi tudo tão divertido. Talvez o que me falte seja afinidade. Talvez eu esteja buscando nos novos amigos aquela cumplicidade distante com esses amigos. Ri muito...estava feliz...me sentindo em casa.
Não temos definitivamente afinidades com qualquer grupo...preciso ter história para fazer sentido...preciso poder fazer piada para me sentir à vontade...

domingo, 25 de janeiro de 2009

Dias sim (texto)




Hoje foi um dia especial. Depois da sensação, da noite passada, de chegar a minha hora (foi só impressão), tive um dia bastante agradável. Encontrei uma grande amiga e com mais um grande amigo, almoçamos. Vimos a Exposição no MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro) de Vik Muniz (um dos brasileiros mais consagrados no cenário da arte internacional) e depois fomos (apenas eu e ela) ao cinema assistir Rumba. Nos encontramos bem pouco. Fazia 2 anos que o nosso coontato era apenas por telefone. Gosto muito de gente bem humorada. É o seu caso. Sempre nos divertimos muito.

Dias não (texto)


Ontem à noite depois de uma curva errada à direita, nos defrontamos (um amigo e eu) com policiais militares e sabe lá quem trocando tiros numa avenida, na madrugada carioca. De repente estávamos no meio do tiroteio. Eu só pensava numa bala me achando e eu virando estatística nas páginas policiais de um desses jornais aqui da cidade. Foram momentos terríveis! Não sabíamos o que fazer, para onde ir. Meu amigo, mais desnorteado que eu, perdeu completamente o rumo e tb a capacidade de pensar numa alternativa para nos tirar do conflito. Zona de Guerra total. Quase mijei nas calças de tanto pavor. Os tiros estouravam tão próximos, ou eu ouvia assim, que não dava para pensar em quase nada. Fizemos uma curva tão suspeita que um dos policiais nos apontou uma de suas armas (acho que uma escopeta) e aí, para mim, foi mesmo o fundo do poço. Achei que não sairia dessa. Saímos! Ufa! Nunca mais aniversário na madrugada carioca.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Buenos Aires - Fotografias


Buenos Aires - fotografia

Cemitério da Recoleta - Fotografia

MALMA - Buenos Aires - Fotografia

OTROS AIRES (texto)

Estive em Buenos Aires entre os dias 09 e 20 de janeiro. Cidade linda. Ampla. Limpa. Trânsito organizado. Gente educada. Achava que os argentinos fossem todos jogadores de futebol e seria, por conta da rivalidade entre os países, mal-tratado. Não fui. Bem ao contrário: gentilíssimos.
Fiz quase tudo a pé: Centro (onde eu estava), Recoleta, San Telmo, Palermo, La Boca, Puerto Madero, Retiro etc.
Museus maravilhosos. O Malba é imperdível: artistas do continente. Arte brasileira da melhor qualidade. Salas divididas por décadas. Tudo muito bonito: o prédio já é uma obra. Tb fui a Fundação PROA no Caminito. Lá havia obras de Marcel Duchamp (aquele do Bigode na Monalisa). Espaço bastante bonito.
A cidade é bem arejada. Ruas largas. Prédios bem cuidados. Livrarias em cada esquina. Cafés por todos os lados invadindo as calçadas.
Como gosto muito de música e estava no país do Tango. Fui buscá-lo. Estive em duas milongas: uma igual a todas e a outra um milonga-gay (na qual homens podiam dançar com homens, mulheres com mulheres e homens e mulheres tb dançavam juntos). É claro que não dancei, porque se não danço tango no Brasil, muito menos em Buenos Aires.
Nessa busca por tangos, encontrei 3 CD's espetaculares "Otros Aires", Otros Aires dos" e "Vivo en otros aires". Tango eletrônico, da grife Gotan Project. Além dessa coletânia, o Narcotango. Tb eletrônico de qualidade. E ainda o "LafondaTangoclub" com tangos clássicos com roupagem moderna.
Tudo muito bom. Bem cuidado como a cidade.
O bom de viajar sozinho foi a possibilidade de conhecer outras pessoas (não que isso não pudesse acontecer se eu estivesse acompanhado, mas sozinho, acho que torna-se mais próximo). As conheci. Na verdade fui reconhecido por um Chileno (Jonathan, o que caminha na Hipólito Yrigoyen) e a partir dele, conheci tb duas alemãs: Benjamin e Sabina (as que estão tomando sorvete). Boas companhias, divertidas. Passamos boas horas juntos. O grande problema: línguas diferentes...mas uma mesma sintonia.