sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O tempo da amizade

Resultado de imagem para o tempo da amizadeO tempo da escrita de uma dissertação nem sempre coincide com o tempo da construção de uma amizade. Dificilmente coincide. Definitivamente não coincide. 
A escrita de uma dissertação tem (salvo raras exceções) um tempo já-estabelecido, um já-la que obriga o mestrando a compreender uma teoria, a pensar em um projeto, a selecionar o seu corpus de análise (é claro que as etapas não são necessariamente essas e nem estão distribuídas exatamente nesta ordem).
Portanto, há um tempo fechado para que a letra maiúscula do primeiro parágrafo e o ponto final do último estejam postos numa encadernação.
O tempo da amizade é outro. É o tempo da afinidade. E não há, em hipótese alguma, um prazo para que isso aconteça: pode ser imediatamente. Pode ser logo que se conhece alguém. Pode depender de um outro acontecimento. Pode acontecer depois de algum tempo. Depois de muito tempo. 
Portanto, há um tempo aberto, talvez, escancarado, para que o olhar de um encontre o coração do outro e haja reciprocidade entre olhos e corações. 
Só não existe um tempo da amizade fora desse encontro entre corações e olhos.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

E esse silêncio todo me atordoa. Atordoado, permaneço atento.

Resultado de imagem para temer é um lixoÉ claro que bate uma grande frustração com tudo o que anda acontecendo na política nacional. Na maior parte das vezes, indignação. Noutras, raiva diante da minha impotência. O que se pode fazer diante de tudo isso? A impressão é de que há uma passividade enorme dos inconformados: minha, sua, de todos nós.
Temer é um lixo. Não tenho dúvidas. Mas um lixo com apoio da maioria dos deputados e senadores e assim faz e acontece. Faz o que quer e quanto quer. Se não faz exatamente no momento do desejo, bastam alguns acordos para que as coisas aconteçam.
A cada dia, um direito a menos. Um escândalo a mais. É só o que leio e ouço. Não nos grandes meios de comunicação. Estes não merecem mais respeito.
Os golpistas felizes. Indicação de Alexandre de Moraes para defender os indefensáveis. Blindagem dos corruptos na cara de pau. Moro parabeniza a indicação do plagiador ao STF. Delações que não dão em nada. Tudo se pode dizer de alguns políticos.
A Vaza Jato não trata com a mesma arrogância uns e outros. Uns são mais, bem mais, do que outros.
Os jornais fingindo que dão notícias: silenciam para não precisar dizer o que não querem dizer. E mesmo desmascarados, como foi o caso da Folha, nesta semana, pelo The Intercept Brasil, não repercute porque TVs, jornais, revistas estão nas mãos de poucos e todos apoiadores do Golpe.
Me arrepio quando ouço falar em "Modernização das leis trabalhistas", "Flexibilização do trabalho", sei que se trata de prejuízo para o trabalhador. Faltam empregos. Segurança nem se fala....
O STF fingindo que tem um peso e uma medida. Carmem Lúcia e suas declarações sem efeitos: mais do mesmo. Tudo da (meia) boca-pra-fora. Moreira pode, Lula não! Tudo na mais perfeita ordem e tranquilidade, como se nada houvesse acontecido.
E esse silêncio todo me atordoa. Atordoado, permaneço atento.