domingo, 30 de janeiro de 2011

Não faz parte do meu show (comentário)

Não sou um consumidor de livros espíritas, ou seja, não costumo comprar nem mesmo ler livros psicografados por médiuns. O máximo de intimidade que tive com uma obra espírita foi com O Evangelho segundo Allan Kardec que pertenceu a minha avó. Li algumas páginas, depois reli alguns capítulos.
No entanto, ontem à tarde uma amiga comprou o livro Faz parte do meu show, psicografado pelo médium Robson Pinheiro Santos e aí antes de dormir peguei emprestado o tal livro e o li.
Primeiro por curiosidade, depois para saber até onde ia o mal gosto do autor do romance. Fiquei impressionado com a falta de seriedade (desculpem-me os que gostaram ou os que acreditam que seja mesmo a vida-após-a-morte do cantor Cazuza descrita naquelas páginas) com a qual é tratada uma questão tão cara para o Kardecismo: a vida após a morte.
De cara, o que mais me impressionou negativamente foi a forma como os artistas (as pessoas públicas) são apresentados pelo autor depois de mortos. Continuam sendo tratados como celebridades independentemente da vida que levaram por aqui. 
Não estou de forma nenhuma produzindo juízo de valor sobre a vida de quem quer que seja, mas, sejamos honestos, o fato de alguém ser ator, poeta, apresentador, cantor, ex-BBB, modelo ou manequim não seria suficiente para ser tratado de forma diferenciada no plano espiritual, acho que isso iria de encontro com a doutrina espírita. E  mais, seria um desrespeito com os demais desencarnados.
Além disso, no decorrer do livro o cantor encontra-se com várias figuras conhecidas, como se elas continuassem sendo exatamente o que foram aqui entre nós.
O encontro com Chacrinha realmente me fez prosseguir com a leitura. Este continuava, além de usar o bordão Teresinha, apresentando um programa de música com a participação de Elis Regina, Clara Nunes etc. E a explicação dada pelo autor seria a importância dessas "pessoas" no acolhimento de espíritos desencarnados com alguma dificuldade para compreender essa nova etapa de sua vida.
A primeira figura pública com a qual o cantor esbarra é o poeta Drummond e o diálogo entre eles, e na sequência, a forma com o este poeta descreve o seu encontro com um mentor espiritual é de péssimo gosto literário.
Sem falar no vocabulário usado pelo cantor durante toda a obra. Para ressaltar que Cazuza fora um rebelde ou para reforçar essa imagem o autor o tempo todo faz uso de palavras de uma juventude fora do tempo. Seria como se o tipo assim fosse o bordão do Fiuk desencarnado.
Não vou dizer que perdi meu tempo, porque a explicação sobre desejos sexuais de encarnados e desencarnados foi interessante. Ponto.
Não recomendo. Mas gostaria muito de ler aqui outros comentários a respeito do livro, sobretudo positivos para que eu não ficasse com tamanha má impressão.

31 comentários:

  1. Oi Alê...não li o livro e nem pretendo ler...talvez pegue na mão pra dar uma olhada e tirar minhas conclusões e dar minha contribuição ao sei blog...mas o que posso dizer é que nem todos os autores que se dizem espíritas, realmente psicografam os livros...
    Se o fazem, deve-se ter o cuidado de observar a biografia do autor.
    Zibia, por exemplo, reverte todo lucros com suas obras psicografas em beneficio próprio, que, como você sabiamente explanou, vai de encontro à filosofia da doutrina espírita.
    Se quer uma sugestão de excelentes autores: Divaldo Pereira Franco e o indíscutível Chico Xavier. Existem bons livros espíritas que nos dão uma idéia de como é estar no mundo espiritual e pelo pouco que conheço da doutrina, Cazuza ainda tem muito caminho pra trilhar do outro lado...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, quero ler o livro sobre o qual vc comentou. Realmente acho que há muito oba-oba nisso tudo. Sou simpatica ao espiritismo, mas o estudo de forma mais independente, à minha maneira. Não gosto de doutrinação, nem sigo instituições e movimentos. Sinceramente, acho que Kardec deve estar profundamente decepcionado com o que muitos fizeram da doutrina espírita. Karde defendia a "fé raciocinada". Seu propósito era estudar os fenômenos ditos espirituais com isenção e rigor metodológico, alicerçado em preceitos científicos e filosóficos. Não sei até que ponto isto é possível nem se ele realizar seu trabalho como pretendia. Não sei até que ponto pode-se falar em "fé raciocinada". Pululam em minha cabeça muitas dúvidas sobre a obra Kardequiana. Mas não é a intenção do autor deste post discutir isto, nem a minha. Quanto às inúmeras obras psicografadas por diversos médiuns aqui e ali, especialmente aquelas cujas autorias são supostamente atribuídas a espíritos que quando encarnados animaram personalidades famosas, como o livro em questão, eu alimento muitas suspeitas. Há muita charlatanice e bizarrice em muitas destas obras, e que realmente vão de encontro aos postulados de Kardec. Por isso, leio as obras espíritas e delas tiro minhas próprias conclusões, absorvo o que me parece sensato e descarto o que me parece contraditório ou sem sentido. Vou ler o livro e depois deixo minha opinião sobre ele aqui.

    ResponderExcluir
  3. Oi Alexandre,
    Li o livro há alguns anos atrás, sou Kardecista e interessei-me por ser uma admiradora da obra do Cazuza.Achei-o, também, meio antagônico aos ensinamentos Kardecistas.Comentei com um amigo que é estudioso da doutrina espírita e médium de psicografia há 30 anos da Casa Espírita que frequento, o CELD.Ele concordou comigo, e disse inclusive, que o livro não passou pela aprovação do conselho que escolhe quais os livros que estão aptos a serem vendidos na livraria do Centro Espírita Leon Denis.
    Concordo com a amiga acima: nem tudo que é vendido como psicografia, realmente é, e mesmo que seja, há de se levar em conta a seriedade do espírito que ditou e tb do mediúm que psicografou a obra.
    Como vc, tb não achei a leitura totalmente inútil:há ensinamentos positivos e trechos interessantes no livro.
    Se tivesse que indicar um livro espírita que me surpreendeu muito positivamente, indicaria "Além do Rosa e Azul", do psicólogo Gibson Batos, que saiu pela editora do CELD.O livro emociona pela delicadeza e ausência total de preconceito com que trata o assunto homossexualidade, desestigmatizando por completo a questão da orientação sexual, vista sob a luz da doutrina espírita que caminha de mãos dadas com a ciência.Apoia-se em conceitos científicos e doutrinarios, para mostrar que todas as orientações sexauis são normais.Explica porque a orientação sexual é inata e comportamento sexual é aprendido e que nem todos os comportamentos são saudáveis, independente da orientação.
    Gostei muito do livro, esse eu indico.
    Espero ter contribuído, é um prazer participar de seu blog.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Lamento pelo seu tempo "perdido" e pelas árvores que foram (e são) sacrificadas para a produção de obras que pouco têm a nos oferecer. Mas, como devemos ver o outro lado, vc está prestando um serviço para que outras pessoas ponderem antes de adquirir esse livro.

    ResponderExcluir
  5. Não li, e confesso que fiquei muito mais inclinado a não faze-lo depois que li teu post.

    Acho no minimo desrespeitoso esse tipo de comércio.

    Vou acompanhar os comentários, quem sabe alguma alma (viva), se manifeste em favor do livro!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabou de encontrar João! O livro pode ser estranho para quem não conhece a espiritualidade ou não tem experiências nela. Também pode ser estranho para quem chama espiritismo de religião e acaba produzindo comentários como o dono do blog. Respeito as opiniões dele, mas para falar temos que conhecer e atravessar o caminho. Quem é ele pra achar que os espíritos tais não podem ter tratamento x ou y "porquê o kardecismo é assim ou assado. Não conhece, não sabe. Eu lí e garanto ser um livro maravilhoso.

      Excluir
  6. Caro Alexandre,

    não tenho a intenção de ler esse livro primeiramente pela sua observação e, depois, porque eu, sinceramente, não consigo ver seriedade quando há livros relacionados com assuntos religiosos. Acredito ser dificílimo fazer um romance sobre tal tema e que fique claro para o leitor se tratar de ficção, menos pela qualidade do leitor do que por certos desvios que o autor, inclusive por desconhecimento (para não falar charlatanismo)cometa.

    Belíssimo blog!! Abraço!!

    ResponderExcluir
  7. Oi Alexandre, eu, como atéia que sou, não leio esse tipo de livro de maneira nenhuma. Meu marido é kardecista e durante um tempo tentei ler alguma coisa sobre o assunto, mas, céus! É tudo subliteratura da pior qualidade. São tão mal escritos, tão piegas, tão cheios de clichês, que me cheiram mais à charlatanismo, como bem disse o Wallace do que a qq outra coisa. Esse filão de esoterismo, auto ajuda, livros espíritas, etc, vendem como água pq somos um povo medíocre, sem vocabulário, sem cultura, enfim, um povo que não lê e se contenta com esse tipo de baixa escrita. Perdoe-me a sinceridade, mas é como vejo a coisa toda. E, o que é pior, esse tipo de livro, deixa seus autores riquíssimos e as editoras, com as burras cheias, nem arriscam nos novos escritores, mesmo que tenham qualidade. Aliás, arriscar pra que, se ninguém vai entender mesmo?
    um abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realmente, o Chico Xavier ficou riquissimo como o autor mais traduzido n o mundo. Por favor, se não acredita, não se julgue superior, cheia de cultura, dona da verdade, colocando o restante dos que acreditam o rótulo de ignorantes e medíocres. Medíocre é sim a pessoa que julga colocando somente o peso de suas próprias crenças, que se acha cult, sem nem mesmo saber do que se trata a crença na vida após a morte. Reflita, e dê mais valor um pouco no ser ao seu lado, independende das crencas e dogmas.

      Excluir
    2. realmente, o Chico Xavier ficou riquissimo como o autor mais traduzido n o mundo. Por favor, se não acredita, não se julgue superior, cheia de cultura, dona da verdade, colocando o restante dos que acreditam o rótulo de ignorantes e medíocres. Medíocre é sim a pessoa que julga colocando somente o peso de suas próprias crenças, que se acha cult, sem nem mesmo saber do que se trata a crença na vida após a morte. Reflita, e dê mais valor um pouco no ser ao seu lado, independende das crencas e dogmas.

      Excluir
    3. Acho que vc deveria reler o posto, porque vc não commpreendeu o que eu quis dizer. Nunca em nenhuma linha foi escrito que eu não acreditava, disse apenas que ESTE LIVRO EM QUESTÃO é uma porcaria.

      Excluir
    4. Sua ignorância é surpreendente, Glorinha.

      Excluir
    5. É surpreendente o seu nível de ignorância, Glorinha.

      Excluir
  8. O espírito de Agenor deveria baixar na casa do Robson pra tomar satisfações. Renato Russo também foi vitima destes "médios".
    ps: simpática a Glorinha. Não só é muito franca como também se junta a corja medíocre, sem vocabulário e sem cultura tão caracteristicos deste povo inzoneiro. Vai ver que a quantidade de brasileiros no mundo expliquem a vendagem dos livros do Paulo Coelho

    ResponderExcluir
  9. Oi Alê...não conheço esse livro e acredite se quiser, apesar de ser espiritualista não tenho o hábito de ler esse tipo de literatura mas, quando se trata de plano espiritual é sempre um tema muito delicado. Muita coisa boa já foi escrita a respeito mas infelizmente muito coisa ruim também, porém não sei se esse é o caso porque não conheço, todavia me assistei com algumas coisas que vc falou aqui. Enfim, vou procurar saber mais a respeito.
    Abs

    ResponderExcluir
  10. Não gostei do livro psciografado, achei ele incompleto, mas tem essa psicografia do cazuza de 1996 que muito mais interessante que o livro: http://www.4shared.com/document/qvQupRbL/PSICOGRAFIA_-_CAZUZA.html

    ResponderExcluir
  11. Comprei esse livro anteontem e já lí é muito bom mesmo, acho que tem por aí muita abobrinha a cerca desse livro tem gente que acha que sabe de alguma coisa da vida do Cazuza e sai por aí falando pros cotovelos, acredito sim que ele quem ditou esse livro, primeiro pq ja li livros que esse médium psicografou e são ótimos e segundo pq estudei a vida do Cazuza enquanto encarnado e no seu fim de vida ele começou a ter noção do plano espiritual e reencarnação! Sugiro que as pessoas parem de conversar abobrinha e vão estudar ler pesquisar!

    ResponderExcluir
  12. Não ví nada no livro de privilegio por ser artista pelo contrario eles tem que trabalhar do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  13. CONFESSO QUE FIQUEI CURIOSO PRA LER ESSE LIVRO
    E TIRAR MINHAS PROPRIAS CONCLUSÕES
    SOU UM LEITOR DESSE TIPO DE LITERATURA A MAIS DE DEZ ANOS
    E QUERO CONHECER ESSE LIVRO ANTES DE FAZER QUALQUER CRITICA
    ACHO QUE NAO SERA PERCA DE TEMPO EM TUDO HÁ UM APRENDIZADO
    QUE FUTURAMENTE PODERÁ SER UTIL

    ResponderExcluir
  14. Alexandre, respeito sua opinião, mas não opine superficialmente sobre o que não conhece. Sua análise não é integral. Você chama o livro de romance. Sim, mas mediúnico. O autor que você se refere, não é o Robson, é o Angelo Inácio, espirito desencarnado. Se você não acredita na vida fora da matéria não pode analisar o livro a luz de literatura apenas. Estude, entenda. Espiritismo, kardecismo... isso é rótulo. Espiritualidade não é religião. Espiritismo não é religião. É doutrina, estudo.

    ResponderExcluir
  15. Não ví nada demais em relação ao livro, ALIÁS quem estuda a doutrina espírita à finco sabe muito bem que aquelas situações narradas na espiritualidade é comum E AO CONTRARIO DO QUE VC ENTENDEU ngm é tratado como estrela! eles atuaram na Terra como artistas, pois bem, muitos que desencarnaram antes deles os conheciam como celebridade!Pois bem!Porque não usar isso a favor desses irmãos?ué, afinal se eu to em sofrimento no umbral ou em qualquer região densa sou ignorante de tudo e não tenho absolutamente conhecimento nenhum de espiritualidade, MAS conheço o Cazuza (cazuza..oooooohhhhh, o cara é artista meu!), e ele chega perto de mim e diz: E ai mano, vamos fazer tal coisa? eu respondo: Opa!Claro CAZUZA, afinal pow meu, É O CAZUZA MANO! BINGO! Espírito pronto a ser atendido e ajudado pelos benfeitores, e assim é com cada artista...emprestam a ilusão do estrelato a esses espiritos ignorantes das leis de Deus para ajudá-los em sua trajetória!
    ENTENDEU OU QUER QUE EU DESENHE?
    Que vc não goste, blz....é direito seu, agora fazer questionamentos sem o devido estudo (o que vc testa e assina em seu relato em q vc mesmo fala q nunca se interessou pelo estudo da doutrina), apontar falhas aki e akolá sem sabe o que se passa de fato do outro lado e ainda por cima encarar uma psicografia de um irmão que fora famoso aki e no próprio relato falou que isso não ajudou em nada para ele como um romance?????
    FALA SÉRIO NÉ!
    to chateado com seu comentário pq akilo q foi narrado não tem nada que vai de encontro ao kardecismo como vc menciona: É FATO!
    O seu parco conhecimento da doutrina permitiu-se um parco julgamento de uma obra que poderia ser lida e abrir a mente de muitos por ai que poderiam entender, e ficar mais curiosos a respeito e vc nesse texto, simplesmente DESTRÓI a oportunidade de futuras pessoa procurarem alguma coisa além da matéria para se apegarem e passarem do lado de lá tranquilos, serenos e de bem com a vida!
    PARABÉNS, MUITO OBRIGADO PELO SEU DESSERVIÇO PARA COM A SOCIEDADE!

    ResponderExcluir
  16. Nesse Mundo cheio de contradições, tudo que venha para nos da oportunidade de raciocinarmos, tem que ser bem vindo sim, li tirei minhas proprias conclusões, e gostei, sempre nos enriquece a leitura, Você para mim não fez nada de errado, sua opinião é valida sim, é a sua opinião, um grupo se faz de cabeças pensantes, portanto para mim foi uma leitura amena, traduziu a espiritualidade com simplicidade e narrativa compreensiva para os menos ligados aos assuntos espirituais. Muita luz para você.

    ResponderExcluir
  17. Que O Livro Foi Ditado Pelo Espirito De Cazuza ( Também Conhecido Como Agenor) Foi Acreditar OU Não Vai De Cada Um . Li O Livro A Algum Tempo E Gostei D+ , E Recomendo :)

    ResponderExcluir
  18. POIS BEM ACABEI DE LER O LIVRO E SE VCS QUEREM SABER NEM JESUS AGRADOU TODOS NÉ? EU GOSTEI SIM ENTENDI A MENSAGEM SIM ..............ADOREI...........

    ResponderExcluir
  19. Uma correção para a dona do blog o nome do livro e o Evangelho segundo o espíritismo e não Evangelho segundo Allan Kardec..... não li o tal livro ditado por Cazuza epor isto não posso dizer nada... que Deus abençoe a todos.

    ResponderExcluir
  20. Os princípios da doutrina espírita vão muito além da reencarnação, como pensa a maioria. E infelizmente, ainda há que julgue como uma religião de pessoas ignorantes e sem cultura.
    Vejo que a postagem é bem antiga, mas quero contribuir com a minha opinião sobre o livro.
    Se não acredita ou não tem o mínimo conhecimento sobre o espiritismo, melhor q não leia, pq tudo vai lhe parecer lúdico. Caso o assunto seja interessante, leia sim, pq vale a pena. Assim como muitos livros (inclusive de novos autores, ao contrário do que disse a senhora acima), nem tudo será efetivamente absorvido, mas existem fatos q nos abrem novas visões e entendimentos sobre o plano espiritual.

    ResponderExcluir
  21. SOU ESPIRITA E TRABALHO GRAÇAS A DEUS EM UMA CASA ESPIRITA DENTRO DO TRABALHO DE DESOBSESSÃO . REALMENTE TODA OBRA MEDIÚNICA DEVE SER ANALISADA COM MUITO CUIDADO. POIS COMO AQUI TAMBÉM NO MUNDO ESPIRITUAL EXISTEM MUITOS ESPÍRITOS BRINCALHÕES E ZOMBETEIROS. COMO AQUI TAMBÉM POSSUÍMOS MÉDIUNS DESPREPARADOS.QUANTO AO NOSSOS COMPANHEIROS DE JORNADA QUE SEGUEM O ATEÍSMO ,FICA COMPLICADO ACEITAR A OPINIÃO DE PESSOAS QUE NÃO NÃO ACREDITAM NAS COISAS DA ESPIRITUALIDADE E NEGAM SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA,,POIS NEGAR O SER SUPERIOR QUE É RESPONSÁVEL PELA EXISTÊNCIA DE TODOS NÓS É NEGAR A SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA.DEI UMA OLHADA RÁPIDA NO LIVRO MAIS VOU COMPRAR PARA TIRAR MINHAS CONCLUSÕES..POIS O PRÓPRIO ESPIRITÍSMO NOS ENSINA A ANALISARMOS TUDO DE UMA FÓRMA IMPARCIAL E SEM PRECONCEITO. E COMO FOI DITO ACIMA EM TUDO PODEMOS TIRAR ALGO DE BOM.ABRAÇO A TODOS,

    ResponderExcluir
  22. SOU ESPIRITA E TRABALHO GRAÇAS A DEUS EM UMA CASA ESPIRITA DENTRO DO TRABALHO DE DESOBSESSÃO . REALMENTE TODA OBRA MEDIÚNICA DEVE SER ANALISADA COM MUITO CUIDADO. POIS COMO AQUI TAMBÉM NO MUNDO ESPIRITUAL EXISTEM MUITOS ESPÍRITOS BRINCALHÕES E ZOMBETEIROS. COMO AQUI TAMBÉM POSSUÍMOS MÉDIUNS DESPREPARADOS.QUANTO AO NOSSOS COMPANHEIROS DE JORNADA QUE SEGUEM O ATEÍSMO ,FICA COMPLICADO ACEITAR A OPINIÃO DE PESSOAS QUE NÃO NÃO ACREDITAM NAS COISAS DA ESPIRITUALIDADE E NEGAM SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA,,POIS NEGAR O SER SUPERIOR QUE É RESPONSÁVEL PELA EXISTÊNCIA DE TODOS NÓS É NEGAR A SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA.DEI UMA OLHADA RÁPIDA NO LIVRO MAIS VOU COMPRAR PARA TIRAR MINHAS CONCLUSÕES..POIS O PRÓPRIO ESPIRITÍSMO NOS ENSINA A ANALISARMOS TUDO DE UMA FÓRMA IMPARCIAL E SEM PRECONCEITO. E COMO FOI DITO ACIMA EM TUDO PODEMOS TIRAR ALGO DE BOM.ABRAÇO A TODOS,

    ResponderExcluir
  23. Li, e amei toda história. Quero ler outras obras desse autor. Super recomendo.

    ResponderExcluir
  24. Li, e amei toda história. Quero ler outras obras desse autor. Super recomendo.

    ResponderExcluir
  25. Não li esse livro, mas outro do mesmo autor Robson Pinheiro, "A Alma da Medicina", supostamente ditado pelo Espírito Joseph Gleber. Digo "supostamente", pois há tantos furos históricos na "biografia" desse espírito que é de se fazer corar a um estudante de segundo grau. Pesquisei mais sobre esse autor (o encarnado) e só posso concluir que se trata de um falso médium (e não de um espírito zombeteiro). Pelos trechos que li na crítica de José Passini ao livro "Legião" (também de autoria de Robson Pinheiro) dá para perceber que os espíritos de Joseph Gleber e Ângelo Inácio têm o mesmo estilo, o que é meio estranho. O Sr. Robson Pinheiro controla uma "holding" de entidades espiritualistas (o Instituto Robson Pinheiro), que inclui um centro espírita (batizado com o nome da mãe), uma clínica holística (batizada de "Joseph Gleber"), uma "universidade" (Unispiritus), e um centro de umbanda ([Pai João de] Aruanda). Em vídeo no YouTube, o Sr. Robson Pinheiro pede doações para as obras dessas organizações (https://www.youtube.com/watch?v=LZSmNQF-_sM). O Sr. Robson Pinheiro também vende cursos, como o "Autodefesa Psíquica 2.0". Não é exatamente o mesmo tipo de comportamento de outros médiuns notórios, como Chico Xavier, que sempre viveu muito modestamente e trabalhou como funcionário público até se aposentar, sem nunca ter vivido de sua mediunidade ou de seus livros. Enfim, gostos literários à parte, melhor considerar o Sr. Robson Pinheiro como um autor de ficção. Como disse o Espírito Erastos, em "O Livro dos Médiuns" (Allan Kardec): "Melhor é repelir dez verdades do que admitir uma única falsidade".

    ResponderExcluir