sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Arte pra quem, arte pra quê?


O Museu é de Arte Moderna, a exposição da Nan Goldin, mas a cabeça da atendente/caixa era da Idade Média.
Fomos, três amigos e eu, hoje ao MAM assistir a exposição da fotógrafa americana Nan Goldin. Na chegada, compraríamos 3 ingressos inteiros e uma meia entrada para estudante; um dos meus amigos faz mestrado em letras na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus de Cascavel.
Ele portava a carteira de estudante (sem data de validade) e a declaração de matrícula do ano passado (consta nessa declaração “1º semestre de 2011”). Ela nos barrou dizendo que deveríamos apresentar uma declaração deste ano. Explicamos que o tal curso é anual e que ele ainda estava em férias. Explicamos também que a matrícula do mestrado apenas aconteceria a partir do dia 17 de março de 2012 e que, por isso, não poderíamos apresentar uma declaração deste ano, mas a funcionária foi categórica: argumentou que a Lei estava ali para quem quisesse ler e que ela era bem clara. Contra-argurmentei que uma Lei não pode ser interpretada apenas de uma maneira já que a situação não poderia ser generalizada, haja vista que a instituição na qual o meu amigo estuda funciona de outra maneira. Mas ela não entendeu que não se pode colocar no mesmo quadrado todas as situações, ainda que “trabalhe” com arte moderna.
Pedimos para falar com o gerente. Depois de algum tempo, veio um funcionário se dizendo gerente (e mais tarde se desdizendo porque este estaria em férias...), reforçando que estava bem claro o que se dizia na Lei.
Tornamos a lhe explicar todos os detalhes, em vão. Além desses dois funcionários, uma terceira, que trabalha no balcão, nos disse ser aluna de uma universidade federal cuja matrícula já havia ocorrido em sua instituição. Eu lhe disse que ele, o que era e deixou de ser gerente, estava duvidando do que estávamos falando, mas ele nos disse que eu estava colocando palavras em sua boca, já que em momento algum, segundo ele, havia dito que era mentira o fato de meu amigo estar matriculado num curso que não havia ainda realizado a matrícula de 2012. Enfim, acabamos tendo de pagar a entrada inteira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário