segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Castanha da índia (texto)

Escrever sobre medicina popular tem lá seus perigos. Sobretudo por eu não ser especialista em nada que diz respeito às ervas. No entanto, sei que posso escrever sobre a minha experiência. Por isso, ficamos combinados que estou escrevendo sobre minha impressão.
Tive, alguns sabem disso, uma trombose em 2006. Foi barra pesada. Primeiro por conta do susto, depois por ser obrigado a ficar internado durante 8 dias. Nunca havia me internado por nada. A barra foi só piorando desde então.
Preciso usar diarimente aquelas meias que estimulam a circulação, faça frio ou faça calor (e haja calor!). Além de uma dor constante que tem me acompanhado desde 2006. Nunca mais soube o que é não ter dores nas pernas. Exercícios são uma benção. Durante caminhadas, natação etc. (nada de impacto) as dores somem, mas como não posso, não aguentaria, fazer exercícios durante 24h, e nem todos os dias, uma hora ou outra as dores retornam.
Dia desses, estive numa loja, aqui em Cascavel, de produtos naturais para comprar Noz de Macadâmia, porque me indicaram para diminuir as taxas de colesterol (FICAR VELHO É BOM DEMAIS!) e falei com o vendedor sobre as dores nas pernas, ele me indicou Castanha da Índia (em pó) três vezes ao dia. Basta dissolver num meio copo de água uma colherinha do pó da castanha e beber.
Fiz isso. Hoje é o terceiro dia da expeiência. E, acreditem, vocês, em 6 anos é a primeira vez que eu não sinto nenhuma dor nas pernas. Ontem fiquei a maior parte do dia sem as meias (aqui está fazendo um calor infernal) e não senti nenhum incômodo. Nada. Esqueci até que eu tinha pernas, sem exageros. 
Olha, não sei se a castanha fez efeito ou se o efeito placebo cumpriu seu dever. O que sei é que não sinto aquelas dores. Indico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário