sábado, 13 de setembro de 2014

Dá Série Contos Mínimos

dos poços. Qualquer visitante que chegasse, enxergaria somente poços ...De repente, a gente acorda dentro de um poço. E fica por um tempo tentando descobri como/quando foi parar ali. Aquele buraco tão fundo, úmido, escuro, escorregadio e sem ninguém por perto. 
Não é que não se saibam os motivos, todo mundo sabe deles. Mas é que se vai empurrando com a barriga, fingindo que consegue dar conta dele, pensando que é fácil sair dali sem arranhões. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário