sábado, 14 de março de 2009

Cinema em Cascavel (texto)

Ir ao cinema em Cascavel é, muitas das vezes, um ato de heroismo. Além da escassez de bons filmes, passamos por provações que eu pensava estar, em 2009, a salvo. Normalmente não se tem grandes dificuldades para encontrar o ingresso do filme a ser visto, além disso, professores pagam meia entrada. Oba! No entanto, somos obrigados a ouvir adolescentes que acham que estão na sala de suas casas e podem, por isso, conversar, comentar o filme, fazer diversos barulhos porque não entendem que ALI, no CINEMA, não é a casa-da-sogra e que, portanto, não se deve incomodar os demais expectadores.
Hoje, além desses adolescentes mal-educados (como é ruim ter que conviver com pessoas que não conseguem compreender o mínimo necessário para estar num ambiente com outras pessoas!) um senhor atendeu diversas vezes o seu celular (ele, pelo menos não tocava). E pensa que foi tudo?! Não! Sempre pode ser pior e foi. Um pai (que dormia) e o seu filho que não parava sossegado na cadeira porque, pelo visto, nem sabia que passava um filme na grande tela.
Sei que a paciência não é mesmo uma das minhas maiores virtudes, mas tudo tem um limite. E sempre acho que a educação é o que delimita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário