segunda-feira, 18 de maio de 2009

Embriaguez e excesso de velocidade (texto)

O Deputado Fernando Ribas Carli Filho, Partido Socialista Brasileiro (PSB), 26 anos, matou dois rapazes (26 e 20 anos) em Curitiba na madrugada da quinta-feira dia 07. Com excesso de velocidade, 150km/h, o carro do político destroçou o carro no qual estavam os rapazes.
O resultado do exame de dosagem alcoólica feito na amostra de sangue do deputado estadual comprovou que o parlamentar estava embriagado no momento do acidente.
De acordo com a análise, realizada pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba e divulgado no fim da manhã desta segunda-feira (18) pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), havia no sangue do deputado 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue. Para o Código Brasileiro de Trânsito (artigo 306), a apresentação de dosagem acima de 6 decigramas já é considerada crime, e o nível tolerado é de 2 decigramas.
Além disso, o deputado tinha 130 pontos em sua carteira de habilitação que estava suspensa. Nos últimos seis anos o parlamentar teria recebido 30 multas, 23 delas por excesso de velocidade.
Mais uma vez preciso reforçar que a responsabilidade tb é nossa, porque somos nós quem escolhemos, através do voto direto, esses representantes.
Não quero nem tocar no fato dos rapazes mortos, na família desses meninos, na mãe do deputado que manifestou indignação pelo ato do filho, mas ressaltar que se não mudarmos a forma como escolhemos os vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores e presidentes seremos todos os dias bombardeados com histórias semelhantes.
Morro de vergonha, fico indignado, mas a vergonha e a indignação devem servir para mudar alguma coisa, senão não adiantou nada essa tragédia.

3 comentários:

  1. Caro amigo,Alexandre,concordo com a indignação, e não concordo com a culpa ser nossa por termos votado nas pessoas erradas, a culpa é imposta ao povo a 1500 anos, para não dizer sempre.
    O erro está em não cobrar, foram eleitos,são nossos funcionários.

    ResponderExcluir
  2. Guto, vc tem razão, em parte, mas acho ainda que nós temos que, como diz vc, além de cobrar, fazer escolhas mais acertadas.

    ResponderExcluir
  3. Talvez com a reforma política em teremos de escolher o partido, engraçada essa palavra fazer parte de algo que já está dividido, ao invês de uma pessoa melhore as escolhas e as propostas.

    ResponderExcluir