segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mensagem de uma amiga (texto)

Prezado Alexandre,

Fiquei sabendo de sua grande perda. Nessa hora, como diz o Drummond:

"O mundo, meu bem, não vale
a pena, e a face serena
vale a face torturada.
(...) Façamos, meu bem, de conta.
De sofrer e de olvidar,
de lembrar e de fruir,
de escolher nossas lembranças
e revertê-las, acaso
se lembrem demais em nós".

Alexandre: as mães não morrem. Elas ficam por aí, piscando o olho pra gente - "cuidado, menino"; "ponha o casaco"; "vai mais um café, meu filho?", iluminando de memória o que a vida nos reserva. De memória e de ternura, pode crer.

Um abraço, com carinho, Bea.

(Publiquei sem pedir autorização...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário