terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Da série Contos Mínimos

Sentia-se vazio. Oco. Sem nenhuma novidade. Como uma caixa sem conteúdo. Era como abrir-se num presente e não encontrar absolutamente nada. Dias que passam em branco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário