domingo, 23 de janeiro de 2011

Da Série Contos Mínimos

Vagou durante dias de biquini pelas ruas do centro da cidade: Avenida Mén de Sá, Largo da Carioca, Praça da República, Central do Brasil. 
Percebia-se, a primeira vista, que era uma jovem senhora de fina o trato, nos seus 50 anos, pelas intervenções no corpo: silicone, plásticas, botox, peeling. Um corpo balzaquiano. No entanto, notava-se também que havia muita confusão mental. Supúnhamos, diante de todo esse quadro, que se tratava de uma velha senhora num corpo que há muito não mais lhe pertencia.

2 comentários:

  1. rsrsrs hoje em dia pagamos para evitar o inevitável, é preciso na vida até deixar de viver certas coisas. bjs meu querido!

    ResponderExcluir
  2. Incrível! A cultura do físico quando ultrapassa o bom senso é uma faca de dois gumes. Por coincidência, ontem estava passando pela Visconde de Pirajá, quando vi uma senhora (mesmo) muito velha e magra, já com os braços e pescoço, e pernas murchos... mas o que me chamou a atenção foi um par de seios sobressaindo da da regata, extremamente cheios e levantados, em contradição com o corpo(puro silicone!). O pensamento que tive na hora foi de que parecia uma Barbie velha!
    Fiquei com aquela imagem na mente e a vontade de transformar em conto... aí está.

    ResponderExcluir