domingo, 2 de novembro de 2014

Da Série Contos Mínimos

Não tenho medo de noites escuras, não sou afetado pelas tempestades nem pelas grandes ventanias soltas. Minha força vem da solidão. Eu sou as folhas varridas pelos ventos, os sacos plásticos que levitam pelas ruas. Eu sou o escuro da noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário