sexta-feira, 15 de maio de 2009

Que me perdoe se eu insisto neste tema (texto)

Curitiba é uma bela capital. Claro que não me refiro a toda cidade, porque seria o mesmo que dizer que o Rio de Janeiro é lindo ou que é uma Cidade Maravilhosa. Não mesmo. A periferia do Rio é feia, abandonada, desarborizada, suja. Bonitas são partes das zonas sul e central, apenas. Hoje faz um dia lindo por aqui. Faz frio, Céu de Brigadeiro, um ventinho agradável que bate no rosto. As pessoas nas ruas estão elegantemente vestidas. Nessa meia estação ainda é agradável andar pelas ruas. No inverno não. Frio demais é incômodo (pelo menos pra mim).
Gosto dos cafés, das ruas movimentadas e da possibilidade de encontrar o que quero nas livrarias e lojas de CD's. Hoje ouvi o penúltimo CD da Mônica Salmaso "Nem 1 ai", não o comprei mas ele está na minha lista dos próximos a serem adquiridos. A faixa "Saudades dos aviões da Panair (conversando no Bar)" é linda. Os músicos que tocam são de primeira, assim como o seu repertório.
Vi tb livros que me engordaram os olhos, mas como o CD, ficaram para uma próxima vez. Estou sem grana e ainda é dia 15, metado do mês pela frente. Preciso ser menos impulsivo. De qualquer forma, andar por Curitiba faz um bem danado. Respirei um pouco de outro ar e já me sinto mais animado.

2 comentários:

  1. Oi querido!
    Com todo mundo é assim: o salário acaba e o mês continua.
    Curiosidade sobre seu post:
    Palavras de Fernando Brant em www.museudapessoa.net/MuseuVirtual/
    MÚSICAS
    “Conversa no bar”
    A música “Conversa no Bar” tem um pouco do Saloon. Porque a gente discutia tudo, de literatura, política. A gente entrava ali às cinco horas da tarde e saía às 11 da noite. Aí eu estou falando umas coisas da infância, mas entram outras coisas. Tem uma história interessante: eram dois nomes “Saudade dos aviões da Pan Air”, e o subtítulo “Conversando no bar”. A Elis Regina, quando foi gravar, ela ligou: “Olha, mandei, mas só ‘Conversando no bar’, se mandar ‘Saudades dos aviões da Pan Air’, não passa”. Ela se orgulhava disso, porque ela que tinha conseguido passar sem problema. Porque Pan Air lembrava exatamente o tempo de antes da ditadura. E foram os militares mesmo que acabaram com a Pan Air. Eles acabaram de uma maneira violentíssima. Chegaram no aeroporto e falaram: “Não, não pode sair mais”. E passaram tudo pra Varig, quer dizer, militar gaúcho... Uma história mal contada pra danar. O Milton parece que fez as duas músicas no mesmo dia, “Ponta de areia” e “Conversando no bar”. E eu também mandei pra ele no mesmo dia as duas letras. E até tem uma coisa engraçada sobre essa música. “Ponta de areia”, como era uma reportagem, eu de cara achei que estava boa. E “Conversando no bar” eu acho que estava tirando coisas tão de dentro de mim, que eu não sabia. Mas quando ele cantou pra mim, eu falei: “Pô, é isso mesmo”. E ele falou: “Não, de cara você não gostou muito não”.
    Com muito carinho pro meu miguinho!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, concordo plenamente!
    Curitiba é maravilhosa...mas volte logo, faz muito frio ai no inverno...experiência propria!
    Beijos

    ResponderExcluir