sábado, 7 de maio de 2011

Uma alegria para sempre (Mário Quintana)

Um pouco de poesia para um sábado cheio.





As coisas que não conseguem ser
olvidadas continuam acontecendo.
Sentimo-las como da primeira vez,
sentimo-las fora do tempo,
nesse mundo do sempre onde as
datas não datam. Só no mundo do nunca
existem lápides... Que importa se –
depois de tudo – tenha "ela" partido,
casado, mudado, sumido, esquecido,
enganado, ou que quer que te haja
feito, em suma? Tiveste uma parte da
sua vida que foi só tua e, esta, ela
jamais a poderá passar de ti para ninguém.
Há bens inalienáveis, há certos momentos que,
ao contrário do que pensas,
fazem parte da tua vida presente
e não do teu passado. E abrem-se no teu
sorriso mesmo quando, deslembrado deles,
estiveres sorrindo a outras coisas.
Ah, nem queiras saber o quanto
deves à ingrata criatura...
A thing of beauty is a joy for ever
disse, há cento e muitos anos, um poeta
inglês que não conseguiu morrer.

2 comentários:

  1. Grande Alexandre,
    Agradeço sua presença e tua companhia no segmento de meu trabalho.É um prazer pra mim.
    Ahh obrigado pela sitação que você fez sobre a união estável entre o mesmo sexo.Amanhã já atualizarei essa situação,tão boa e nescessária.

    Desejo Prosperidade,Sucesso e muita Luz sempre.

    Beijo no coração.
    Alessandro

    ResponderExcluir